Mundo

Diego Maradona morre de parada respiratória em Buenos Aires

O ex-jogador argentino Diego Maradona morreu nesta quarta-feira (25), informou o jornal “Clarín”. Segundo a publicação, ele sofreu uma parada cardiorrespiratória. Maradona passou por uma cirurgia no cérebro no começo do mês. Maior jogador argentino da história, venceu a Copa de 1986 com a seleção argentina, quando protagonizou lances históricos como o gol da “mão de […]

Evelin Cáceres Publicado em 25/11/2020, às 12h22 - Atualizado às 13h16

None
De 'Mão de Deus' à política: 12 curiosidades e polêmicas de Diego Maradona

O ex-jogador argentino Diego Maradona morreu nesta quarta-feira (25), informou o jornal “Clarín”.

Segundo a publicação, ele sofreu uma parada cardiorrespiratória. Maradona passou por uma cirurgia no cérebro no começo do mês.

Maior jogador argentino da história, venceu a Copa de 1986 com a seleção argentina, quando protagonizou lances históricos como o gol da “mão de Deus”, contra a Inglaterra. Nos clubes, fez história no Boca Juniors e no Napoli, onde foi campeão italiano e da Uefa.

Genialidade

Conforme lembrado pelo portal do Globo Esporte, Maradona foi campeão mundial com a Argentina em 1986 e teve sua carreira marcada pela genialidade em campo e pelas polêmicas fora dele. O camisa 10 defendeu a seleção em 91 jogos, atuando em quatro Copas do Mundo: 1982, 1986, 1990 e 1994. No Mundial dos Estados Unidos, viveu um dos piores momentos de sua trajetória, quando foi pego no exame antidoping ainda na primeira fase da competição.

Nos clubes, ainda de acordo com o noticiário, sua trajetória começou no Argentinos Juniors, onde brilhou e ganhou uma chance no Boca Juniors, seu time do coração. De lá, rumou para o Barcelona e depois para o Napoli, onde viveu um caso de amor com a torcida e fez história com a conquista do título italiano. Após passagens por Sevilla e Newell’s Old Boys, Maradona encerrou sua carreira no Boca, em 1998, e passou a ser figura comum em jogos na Bombonera.

Após pendurar as chuteiras e passar por um tratamento contra dependência química, Maradona se aventurou como treinador e teve uma oportunidade à frente da seleção argentina, a quem conduziu na Copa do Mundo de 2010. Depois, o Pibe passou por Al-Wasl e Fujairah, dos Emirados Árabes. Em 2018, comandou o Dorados, do México, e teve seu útlimo trabalho no Gimnasia de La Plata.

Jornal Midiamax