Mundo

EUA: repórter negro da CNN é preso enquanto cobria manifestações contra racismo da polícia

A polícia de Minneapolis, no estado de Minnesota, Estados Unidos, prendeu um repórter negro da CNN enquanto o jornalista cobria, nesta manhã (29), as manifestações violentas que acontecem no país, após a morte de George Floyd, homem negro que morreu asfixiado após um policial branco ajoelhar e pressionar seu pescoço. “Omar Jimenez e sua equipe […]

Matheus Maderal Publicado em 29/05/2020, às 11h48

Omar Jimenez, da CNN, foi detido pela polícia de Minneapolis. (Foto: reprodução/CNN)
Omar Jimenez, da CNN, foi detido pela polícia de Minneapolis. (Foto: reprodução/CNN) - Omar Jimenez, da CNN, foi detido pela polícia de Minneapolis. (Foto: reprodução/CNN)

A polícia de Minneapolis, no estado de Minnesota, Estados Unidos, prendeu um repórter negro da CNN enquanto o jornalista cobria, nesta manhã (29), as manifestações violentas que acontecem no país, após a morte de George Floyd, homem negro que morreu asfixiado após um policial branco ajoelhar e pressionar seu pescoço.

“Omar Jimenez e sua equipe foram mantidos sob custódia e depois liberados pela polícia de Minneapolis”, disse a CNN, há pouco. Jimenez, que tem ascendência latina, foi detido junto com seu produtor, Bill Kirkos, e o fotojornalista, Leonel Mendez.

As manifestações contra o suposto racismo da polícia americana estão ficando cada vez mais violentas nos EUA. Ontem, ainda em Minneapolis, manifestantes indignados pela morte de Floyd, tocaram fogo em uma delegacia da cidade.

O presidente americano, Donald Trump, usou sua conta no Twitter, nesta manhã, para criticar a “falta de liderança” das forças de segurança de Minneapolis, por não conseguir controlar o caos que foi instaurado na cidade. “A morte de Floyd não será em vão”, tuitou o republicano.

Jornal Midiamax