Mundo

Procuradoria americana investiga casos de abuso sexual na Igreja Católica

Nesta quinta-feira (6), a agência de notícias Associated Press divulgou que a Procuradoria Geral de Nova York convocou todas as dioceses do estado a testemunhar e entregar documentos e outras provas relacionadas a casos de abuso sexual cometidos por membros da Igreja Católica. A procuradora Barbara Underwood informou em seu twitter que investiga como membros da Igreja “potencial...

João Victor Reis Publicado em 07/09/2018, às 16h00

Foto Reprodução/Twitter
Foto Reprodução/Twitter - Foto Reprodução/Twitter

Nesta quinta-feira (6), a agência de notícias Associated Press divulgou que a Procuradoria Geral de Nova York convocou todas as dioceses do estado a testemunhar e entregar documentos e outras provas relacionadas a casos de abuso sexual cometidos por membros da Igreja Católica.

A procuradora Barbara Underwood informou em seu twitter que investiga como membros da Igreja “potencialmente encobriram alegações de extensivos abusos sexuais em Nova York”.

Segundo o jornal Veja, a procuradora utilizou o recurso conhecido como “subpoena” para intimar as oito dioceses do estado a colaborar com a investigação.

Fontes próximas ao caso dizem que Underwood deve solicitar a entrega de documentos relacionados às acusações ou pedir aos membros da Igreja que forneçam informações sobre pagamentos feitos às vítimas para silenciá-las e outras descobertas internas.

A Procuradoria também anunciou a criação de uma linha telefônica especial e de um formulário online para auxiliar as vítimas de abusos na denúncia.

Em agosto, a Procuradoria do Estado da Pensilvânia divulgou relatório no qual constava denúncia que bispos e outros líderes da Igreja Católica local encobriram abusos sexuais cometidos à mais de 1.000 pessoas por centenas de padres durante um período de quase setenta anos.

Países como Austrália e Oceania já haviam tomado medidas contra esses abusos que ocorrem em Igrejas Católicas. Casos recentes que ocorreram no Chile reacenderam o debate sobre abusos sexuais, quando 167 membros da Igreja foram investigados como autores ou cúmplices no abuso de menores.

Jornal Midiamax