Mundo

Mãe e padrasto são condenados por ‘alugar’ filho para pedófilos na internet

Berrin Taja, de 48 anos, e Christian Lais, de 39 anos, mãe e padrasto de um menino foram condenados a 12 anos de prisão por ‘alugar’ o filho para fins sexuais à pedófilos na internet. O caso aconteceu em Staufen, na Alemanha, entre maio de 2015 e agosto de 2017. O casal foi considerado culpado por […]

Tábata Rauschkolb Publicado em 08/08/2018, às 09h13 - Atualizado em 08/07/2020, às 23h46

Os crimes aconteceram entre maio de 2015 e agosto de 2017 (Imagem:Reprodução/YouTube)
Os crimes aconteceram entre maio de 2015 e agosto de 2017 (Imagem:Reprodução/YouTube) - Os crimes aconteceram entre maio de 2015 e agosto de 2017 (Imagem:Reprodução/YouTube)

Berrin Taja, de 48 anos, e Christian Lais, de 39 anos, mãe e padrasto de um menino foram condenados a 12 anos de prisão por ‘alugar’ o filho para fins sexuais à pedófilos na internet.

O caso aconteceu em Staufen, na Alemanha, entre maio de 2015 e agosto de 2017. O casal foi considerado culpado por estupro, agressão sexual, prostituição forçada e distribuição de pornografia infantil.

Outros seis homens também foram indiciados por abusar repetidamente da criança.

Segundo informações do portal BBC, durante o julgamento foram exibidos vídeos que mostram o menino sendo vítima de abuso sexual, amarrado, sofrendo humilhação verbal e xingamentos.

O processo sofreu inúmeras críticas na Alemanha, já que durante as investigações o garoto foi retirado da residência por assistentes sociais, mas devolvido pouco tempo depois.

Atualmente a criança tem nove anos e vive com uma família adotiva.

Jornal Midiamax