Mundo

34 bispos renunciam no Chile após denúncias de abusos sexuais

Igreja Católica do Chile é acusada de encobrir crimes cometidos por padres

Tábata Rauschkolb Publicado em 20/05/2018, às 09h12

None

Após três dias de reuniões com o Papa Francisco, os 34 Bispos acusados de crimes sexuais no Chile pediram renúncia de seus cargos, na última sexta-feira (18).

Segundo informações do portal O Globo, o Papa apresentou aos religiosos um relatório que acusa a alta hierarquia da Igreja Católica no Chile de negligência. O documento ainda acusa os bispos de destruírem provas.

O bispo Carlos Pellegrín,  da cidade chilena de Chillán, afirmou que a decisão foi motivada para que o Papa fique livre. “Essa é a ideia. Não queremos dizer ao papa: ‘você tem seu barco e agora conduza sozinho’. Pelo contrário, ele conta conosco”, disse na sexta (18) o bispo.

34 bispos renunciam no Chile após denúncias de abusos sexuaisJosé Andrés Murillo, um dos acusadores que cobrou a revisão do caso por parte do Vaticano twittou pedindo a renúncia. “Eles não sabiam como proteger os mais fracos, expô-los a abusos e, em seguida, impediu a justiça. É por isso que eles só merecem sair”, afirmou no tweet.

Jornal Midiamax