Mundo

Rapaz brasileiro é recusado em vaga de emprego na Itália por ser negro

Hotel recusou candidato após receber documento com foto

Joaquim Padilha Publicado em 04/08/2017, às 11h12

None

Hotel recusou candidato após receber documento com foto

Um homem nascido no Brasil, que mora na Itália desde os três anos e meio de idade, foi recusado para uma vaga de emprego em um hotel na cidade de Cervia, no litoral italiano, por ter a pele negra.

“Lamento, Paolo, mas não posso colocar rapazes de cor na recepção. Aqui na Romana as pessoas têm, a mentalidade muito atrasada. Me desculpe, mas não posso fazer você descer, tchau”, disse o empregador ao rapaz, em uma mensagem.

O rapaz, identificado apenas como Paolo, havia enviado seu currículo para o hotel e conversado com o empregador com o telefone. Ele iria começar a trabalhar já em setembro, conforme acordado com o estabelecimento.

Entretanto, Paolo recebeu a negativa do empregador após enviar uma cópia de seu documento de identidade com foto para o hotel redigir o contrato, no último dia 18 de junho.Rapaz brasileiro é recusado em vaga de emprego na Itália por ser negro

Ele levou uma denúncia nesta quinta-feira (3) à Cgil (Confederação Geral Italiana do Trabalho), que está preparando uma ação judicial para ajudar o rapaz.

Paolo, que tem experiência no setor hoteleiro, inclusive na Emília-Romana, havia entrado em contato após ter visto um anúncio para trabalhar no hotel entre junho e setembro, período de alta temporada na Itália por causa do verão europeu.

“O único problema verdadeiro, é evidente, é a cor da pele de meu filho, que o dono do hotel só viu quando ele mandou o documento de identidade”, afirmou a mãe da vítima, Paola, em entrevista ao jornal La Repubblica.

A Federalberghi, entidade que representa o setor hoteleiro italiano, disse que o empregador está empenhado em “remediar o ocorrido”. “Mais de um dono de hotel se propôs a oferecer a Paolo uma oportunidade de trabalho”, garantiu a associação.

Jornal Midiamax