Mundo

Presidente do Egito promete resposta ‘brutal’ após ataque matar 235

125 pessoas ficaram feridas

Aliny Mary Dias Publicado em 24/11/2017, às 19h46

None

125 pessoas ficaram feridas

Homens atacaram com bombas e armas de fogo a mesquita Al-Rawda, na península do Sinai, no Egito, nesta sexta-feira (24), deixando 235 mortos, segundo a agência Reuters, citando a TV estatal. Outras 125 pessoas ficaram feridas.

Quatro agressores chegaram de carro ao local, onde os fiéis faziam as tradicionais orações de sexta-feira, dia sagrado para os muçulmanos. A mesquita fica na localidade de Bir al-Abed, a cerca de 40 km a oeste de Arish, a principal cidade do norte do Sinai.

O presidente egípcio, Abdel Fattah al Sisi, prometeu uma “resposta brutal” aos agressores em um pronunciamento na TV. “As Forças Armadas e a polícia vingarão nossos mártires e nos devolverão a segurança e a estabilidade com força em muito pouco tempo”, disse o presidente Sisi em um pronunciamento na TV.

Al Sisi convocou uma reunião de segurança de emergência logo após o ataque. O porta-voz do Ministério da Saúde do Egito, Khalid Mujahid, afirmou à TV Masriya que o governo trata o incidente como um ataque terrorista. O governo declarou luto nacional de três dias.

A região é constantemente atacada pelo Estado Islâmico (EI), mas, até o momento, nenhum grupo reivindicou a ação.

Jornal Midiamax