Mundo

Mulher é indenizada por perder virgindade durante exame ginecológico

O noivo da paciente terminou com ela

Diego Alves Publicado em 04/04/2017, às 20h12

None
blog_chair_2.jpg

O noivo da paciente terminou com ela

Uma mulher de 29 anos ganhou indenização de o equivalente a cerca de R$ 2.500 após "perder a virgindade" na cadeira ginecológica da sua médica, em Novosibirsk (Rússia), durante exame de rotina. Por causa do rompimento do hímen, o noivo da paciente terminou com ela, contou o "Siberian Times".

De acordo com a publicação, a paciente, que é cristã devota, e o noivo acreditavam que era dever dela se casar virgem.

"Foi a minha primeira consulta com a médica e disse a ela que, aos 29 anos, ainda era virgem", disse a russa, que não teve o nome divulgado pela Justiça. "Senti dor durante o exame e vi sangue na luva da médica. Ela então disse que o meu hímen tinha sido parcialmente rompido", completou ela.

Tatiana Popova, advogada da paciente, comemorou a decisão judicial, considerada "histórica" por ela.

"Estou satisfeita com a decisão, porque na Rússia estamos apenas começando a reconhecer casos de danos morais. É o primeiro caso na Rússia em que se dá indenização por perda da virgindade em cadeira ginecológica", afirmou. Inicialmente, Tatiana tinha pedido indenização de o equivalente a R$ 110 mil.

Jornal Midiamax