Mundo

Manifestações durante reunião do G20 deixam mais de 80 policiais feridos

Aproximadamente 12 mil manifestantes participam de protestos

Joaquim Padilha Publicado em 07/07/2017, às 10h26

None

Aproximadamente 12 mil manifestantes participam de protestos

Pelo menos 12 mil manifestantes ocuparam as ruas de Hamburgo, na Alemanha, na manhã desta sexta-feira (7), onde ocorre a reunião dos líderes mundiais do G20. Pelo menos 80 policiais e 2 manifestantes ficaram feridos.

Os protestos tem como objetivo atrapalhar o encontro, como relatou um dos organizadores da manifestação à CNN. “Não está certo que uns poucos países decidam o que acontece com o resto do mundo”, disse. A manifestação tem como slogan “Bem-vindos ao inferno”.

As autoridades de Hamburgo esperam que pelo menos 50 mil manifestantes ocupem as ruas da cidade durante as reuniões do G20. Aproximadamente 20 mil agentes policiais estão fazendo a proteção dos líderes do encontro.

Pelo Twitter, a polícia de Hamburgo publicou: “Operação em curso contra pessoas violentas”. Houveram confrontos com a polícia por volta das 9h da manhã do horário de Hamburgo, com carros da polícia incendiados e coquetéis molotov.

Manifestantes tentam quebrar os bloqueios policiais que impedem o povo de chegar o local do encontro, formando a chamada “zona vermelha”. “Estamos vivendo em uma democracia, e a zona vermelha não é uma democracia”, disse um manifestante à CNN.Manifestações durante reunião do G20 deixam mais de 80 policiais feridos

A polícia está usando canhões de água e spray de pimenta para tentar dispersar os manifestantes, enquanto estes arremessam garrafas e outros objetos em direção da tropa de choque. Os confrontos se concentram na região do Mercado do Peixe, às margens do rio Elba.

O presidente Michel Temer chegou à Alemanha nesta quinta-feira (6). Além dos protestos anticapitalistas e em defesa do meio ambiente, os líderes mundiais devem esperar atos feministas, pró-curdos e antifacistas.

Jornal Midiamax