Mundo

EUA e Coreia do Sul testam mísseis juntos após ameaça da Coreia do Norte

Governo sul-coreano classificou teste como "advertência" ao norte

Joaquim Padilha Publicado em 05/07/2017, às 11h49

None

Governo sul-coreano classificou teste como “advertência” ao norte

Os Estados Unidos e a Coreia do Sul realizaram um exercício de simulação de ataque de precisão contra a capital da Coreia do Norte, nesta quarta-feira (5), em resposta ao teste de míssil intercontinental executa pelo país norte-coreano nesta terça-feira (4).

As forças dos exércitos norte-americanos e sul-coreanos dispararam dois mísseis balísticos simultaneamente, como “forte mensagem de advertência”, durante o exercício, conforme informado pelo alto comando de Seul, capital da Coreia do Sul.

Os dois mísseis foram disparados contra um alvo hipotético, o que demonstrou a “capacidade de bombardeio de precisão contra o quartel-general do inimigo em um momento de emergência”.

O presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, disse que o último teste de míssil norte-coreano ultrapassou uma “linha vermelha” e afirmou que a “grave provocação exigia que reagíssemos com algo mais que uma merda declaração”.EUA e Coreia do Sul testam mísseis juntos após ameaça da Coreia do Norte

O teste de míssil intercontinental executado pela Coreia do Norte deixou a comunidade internacional em alerta nesta quarta-feira. O secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, declarou que o míssil representa uma “nova escalada na ameaça” ao mundo.

A Academia das Ciências de Defesa da Coreia do Norte afirmou que o míssil subiu a 2.802 quilômetros e percorreu uma distância de 933 quilômetros. Especialistas afirmam que a arma teria capacidade de atingir os Estados Unidos, transportando uma bomba nuclear.

Jornal Midiamax