Mundo

Coreia do Norte diz que míssil intercontinental é ‘presente’ para os EUA

Teste de míssil ocorreu no dia que EUA comemora independência

Joaquim Padilha Publicado em 05/07/2017, às 10h25

None

Teste de míssil ocorreu no dia que EUA comemora independência

A Coreia do Norte afirmou que inaugurou a “fase final” do confronto com os Estados Unidos da América, nesta quarta-feira (4), após ter lançado um míssil intercontinental capaz de alcançar o país norte-americano, um dia antes.

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, disse em um comunicado oficial, após inspecionar pessoalmente o lançamento do míssil, que “os bastardos americanos não vão ficar muito contentes com esse presente enviado pelo aniversário de 4 de julho”.

“Eu deveria enviar presentes de vez em quando para ajudá-los a sair do tédio”, acrescentou Kim, rindo. A conquista de um míssil balístico intercontinental para o país de regime ditatorial não era esperada pelos Estados Unidos.

Especialistas afirmam que o projétil seria capaz de atingir o Estado norte-americano do Alasca. A informação de que o míssil foi testado com sucesso pela Coreia do Norte foi confirmada pelo secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson.Coreia do Norte diz que míssil intercontinental é 'presente' para os EUA

“Os Estados Unidos condenam fortemente o lançamento pela Coreia do Norte de um míssil balístico intercontinental. Testar um ICBM [sigla em inglês para míssil balístico intercontinental] representa uma nova escalada na ameaça aos EUA, aos nossos aliados e parceiros, à região e ao mundo”, disse Tillerson.

O secretário ainda chamou o governo da Coreia do Norte de “um regime perigoso” e disse que os Estados Unidos “nunca aceitarão uma Coreia do Norte armada com aparato nuclear”. Ele afirmou que o país pretende acionar o Conselho de Segurança da ONU para responsabilizar os norte-coreanos pelo teste.

Jornal Midiamax