Mundo

Jornalistas espanhóis presos por extremistas sírios são libertados

Os três haviam sido sequestrados durante cobertura do conflito 

Norberto Liberator Publicado em 09/05/2016, às 11h21

None
jornalistaslibertados.jpg

Os três haviam sido sequestrados durante cobertura do conflito 

O governo da Espanha divulgou a libertação de três jornalistas espanhóis, no último sábado (7). Eles estavam desaparecidos desde julho, durante cobertura do conflito na Síria.

De acordo com o portal online da Revista Exame, o gabinete do primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajov, informou que ‘Antonio Pampliega, José Manuel Lopez e Angel Sastre, que em 12 de julho desapareceram perto da cidade de Aleppo, no norte da Síria, estão bem e a salvo’.

Soraya Sasenz, vice-primeira-ministra, teria conversado por telefone com os ex-prisioneiros. A presidente da Associação Espanhola de Jornalismo, Elsa González, havia afirmado no mês passado que os três jornalistas eram experientes, já tinham trabalhado na Síria anteriormente e sabiam bem que tipos de precaução deveriam tomar.

Segundo o governo espanhol, a intervenção da Turquia, do Catar e outros países considerados ‘aliados e amigos’ foi fundamental para que os três repórteres fossem libertados. Um avião da Espanha teria sido levado até a Turquia, para levá-los de volta a seu país. Em março de 2014, outros três jornalistas espanhóis também foram mantidos em cativeiro na Síria e soltos após meses. Há rumores de que o governo tenha pago resgate.

(Sob supervisão de Ludyney Moura)

Jornal Midiamax