Mundo

Chinês mata sul-coreana porque ela ‘se parecia muito com sua ex’

Ela foi assassinada enquanto rezava em capela

Norberto Liberator Publicado em 21/09/2016, às 13h43

None
chinesassassino.jpg

Ela foi assassinada enquanto rezava em capela

Um turista chinês de 50 anos identificado apenas como Chen esfaqueou uma sul-coreana de 61 anos, enquanto ela rezava em uma capela na ilha turística de Jeju, na Coreia do Sul. Ele alega que ela se parecia muito com sua ex-esposa. O crime ocorreu na manhã da última quarta-feira (20).

O jornal chinês Shangaiist afirma que, após o ataque, a mulher – cuja identidade foi revelada somente como Kim – chamou o serviço de emergência, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital, enquanto os médicos faziam a operação.

De acordo com o jornal The Korea Times, Chen fugiu e foi encontrado pela polícia durante a tarde, em outra cidade da ilha. Depois do depoimento prestado pelo assassino, os policiais revelaram que a misoginia pode estar por trás do que classificam como “crime horroroso”.

“Ele disse que visitou a capela para rezar, mas perdeu o controle sobre si próprio quando viu uma mulher que se parecia com uma de suas ex-namoradas”, diz Park Ki-Nam, chefe da polícia local. “Parece que ele tinha um ressentimento profundo contra a mulher”.

Ao jornal The Korean Herald, Chen afirmou que não conseguiu se controlar depois de ver a sul-coreana. “Quando vi uma mulher rezando sozinha na igreja, pensamentos sobre namoradas se passaram por minha mente e eu a ataquei, cheio de raiva”, declara.

Mesmo com a confissão de Chen, a polícia não descarta a hipótese de que o assassinato tenha sido premeditado. O chinês já havia visitado a capela um pouco antes e comprou a arma enquanto estava na ilha.

Jornal Midiamax