Mundo

Ataque suicida em hospital deixa ao menos 53 mortos no Paquistão

Suspeita é de atentado planejado contra advogado

Norberto Liberator Publicado em 08/08/2016, às 11h42

None
paquistao.jpg

Suspeita é de atentado planejado contra advogado

Um atentado suicida seguido de troca de tiros em um hospital em Quetta, na região oeste do Paquistão, deixou ao menos 53 mortos e 58 feridos. Depois do ataque, policiais responderam com disparos contra atiradores não identificados. O incidente ocorreu nesta segunda-feira (8).

De acordo com o jornal português Diário de Notícias, o ministro da Saúde da província do Baluchistão, Saleh Baloch, afirmou que o último balanço oficial havia registrado ao menos 40 mortos e 40 feridos. O governador do local, Sanaullah Zehri, disse à rede televisiva Geo que não há dúvidas de que foi um ataque planejado.

Segundo Zehri, a explosão ocorreu logo depois de o presidente da Associação de Advogados do Baluchistão, Bilal Anwar Kasi, entrar no hospital. “Sabiam que iam atingi-lo e que outros advogados iriam ao hospital. O suicida acionou as bombas que transportava quando os advogados já estavam lá”, afirma. Kasi morreu durante o ataque.

Os atentados contra advogados e outros servidores do Estado têm sido cada vez mais frequentes no Paquistão, sendo realizados sobretudo por grupos extremistas como o Talibã.

Jornal Midiamax