Mundo

150 civis doentes e deficientes são retirados do leste de Aleppo

Foram levados a um centro médico da cidade antiga de Aleppo

Henrique Kawaminami Publicado em 08/12/2016, às 13h37

None
82d0191f6812275bff8b28e18cd8b2bedd29f3fc-768x432.jpg

Foram levados a um centro médico da cidade antiga de Aleppo

Quase 150 civis, a maioria deles doentes, feridos ou com deficiência, foram levados na noite desta quarta-feira (7) a um centro médico da cidade antiga de Aleppo, retomada pelo Exército sírio, anunciou o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV).

A operação de retirada ocorreu em colaboração com o Crescente Vermelho sírio, poucas horas após o regime anunciar que havia tomado dos rebeldes esta parte da cidade, centro histórico de Aleppo.

O CICV também recolheu os corpos de 11 pessoas mortas no estabelecimento durante os combates dos últimos dias.

O centro Dar al Safaa é um hospício para pessoas de idade avançada que foi adaptado para receber pacientes com problemas mentais ou físicos, segundo o Comitê. Ali também teriam se refugiado alguns feridos pelos combates e bombardeios.

As forças do regime sírio já controlam mais de 80% dos bairros rebeldes na parte oriental de Aleppo. Desde o início da ofensiva, em 15 de novembro, 384 civis, entre eles 45 crianças, morreram nos bairros de Aleppo Oriental, e outras 105 no setor governamental, de acordo com o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

Jornal Midiamax