Mundo

Indonésia diz ter detectado sinais das caixas-pretas do avião da AirAsia

Segundo a Reuters, informação é de investigador do Comitê de Transportes.

Clayton Neves Publicado em 09/01/2015, às 16h35

None
buscas-airasia.jpg

Segundo a Reuters, informação é de investigador do Comitê de Transportes.

As equipes de resgate que procuram pelos corpos de vítimas e pelos destroços do avião da AirAsia que caiu no Mar de Java, na Indonésia, informaram que detectaram sinais que seriam das caixas-pretas do avião. Na quarta-feira (7), foi localizada a cauda do avião, que é o local onde normalmente ficam os equipamentos, que guardam diálogos do piloto e dados do voo. A

“Um barco detectou os sons. Os mergulhadores tentam recuperar” as caixas-pretas, declarou à AFP S.B. Supriyadi, um dos responsáveis pelas operações no mar de Java. “A localização dos sons se situa perto da região onde a cauda do avião foi encontrada” na quarta-feira, acrescentou.

As caixas-pretas emitem sinais acústicos que, em geral, podem ser detectados até 30 dias após o acidente.

As autoridades indonésias anunciaram na quarta-feira ter encontrado a cauda do avião, a parte da aeronave onde costumam estar localizadas as caixas-pretas, que registram as informações de voo, cruciais para determinar as causas do acidente.

Trata-se da primeira vez em que são detectados sinais acústicos do voo QZ8501. Os trabalhos de busca se tornaram difíceis devido ao mau tempo e às correntes marítimas, que impedem os mergulhadores de chegar ao fundo do mar, embora nesta zona ele seja relativamente pouco profundo (cerca de 30 metros).

Está previsto para os próximos dias o início da retirada do fundo do mar da cauda do voo QZ8501, que desapareceu das telas do radar em 28 de dezembro depois de percorrer menos da metade do trajeto de duas horas de Surabaya, segunda cidade da Indonésia, até Cingapura. 

Não houve sobreviventes entre as 162 pessoas a bordo. A causa do acidente permanece um mistério, e a esperança é que as caixas-pretas, com as gravações e registros do voo, forneçam pistas. A operação vai usar um balão para suspender a cauda.

Em Jacarta, o chefe da agência de resgate da Indonésia, Fransiskus Bambang Soelistyo, disse que um guindaste também pode ser usado na operação e que encontrar os corpos desaparecidos permanece o foco principal do trabalho.

A cauda do avião foi encontrada na quarta-feira, virada no fundo do mar, a cerca de 30 quilômetros da última localização que se tem do avião, a uma profundidade de cerca de 30 metros.

Corpos
Os parentes das vítimas têm pedido às autoridades para priorizar a busca pelos corpos.

Um total de 84 mergulhadores estava em embarcações na região dos destroços na quinta-feira, e equipes iniciaram as buscas pela manhã. A falta de visibilidade e o mar agitado dificultaram os esforços, afirmaram autoridades.

Quarenta e três corpos e destroços do avião foram retirados das águas na região de Bornéu, mas ventos fortes e ondas altas prejudicaram os esforços dos mergulhadores para alcançar grandes pedaços de peças, supostamente da aeronave, detectados pelo sonar no fundo do mar.

Jornal Midiamax