Mundo

Considerado o mais poderoso da história, furacão Patricia atinge México

O fenômeno chegou aos estados de Jalisco

Diego Alves Publicado em 24/10/2015, às 01h48

None
interna.jpg

O fenômeno chegou aos estados de Jalisco

O Furacão Patricia, maior fenômeno já visto tanto no oceano Pacífico quanto no norte do oceano Atlântico, já chegou à costa do México. A informação foi confirmada por volta das 21h20 (horário de Brasília) pelo presidente do país, Enrique Peña Nieto.

O fenômeno chegou aos estados de Jalisco (onde fica a cidade de Puerto Vallarta, um dos principais pontos turísticos do país) e Colima. Também devem ser atingidos nas próximas horas os estados de Nayarit e Michoacán. Até o momento, nenhum governador relatou prejuízos maiores em decorrência da passagem do furacão.

O tornado tem aproximadamente dez quilômetros de diâmetro, de acordo com o Conagua, serviço meteorológico oficial do país.

Segundo informações da Nasa, os ventos provocados pelo fenômeno poderão ultrapassar a velocidade de 400 quilômetros por hora. De acordo com o Centro Nacional de Furacões dos EUA (NHC), o furacão atingiu a categoria 5 – o maior patamar da escala Saffir-Simpson, que mede a intensidade dos fenômenos. Para efeito de comparação, o furacão Katrina, que deixou mais de 1.800 mortos nos EUA em 2005, foi classificado como um fenômeno de categoria 3.

O presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, reconheceu que o país "enfrenta uma ameaça de grande escala" e informou que o governo terá como prioridade a proteção da vida de seus cidadãos. Houve registro de deslizamentos no estado de Michoacán pouco antes da chegada do furacão ao continente.

As autoridades já ordenaram a evacuação de moradores dos três estados que devem ser os mais atingidos pelo fenômeno: Colima, Nayarit e Jalisco. Muitos foram evacuados em direção a Guadalajara, na região central do país. Também foi emitido um alerta para que fossem cancelados os voos para esses estados.

O governo mexicano recomenda que mesmo os moradores de outras regiões preparem um kit de emergências para o caso de ser necessário deixarem suas casas. O fornecimento de energia foi preventivamente suspenso em Tacomán e Manzanillo (cidade onde o porto também foi fechado). Ainda por precaução, foi suspenso o funcionamento de postos de combustível nos três estados que devem ser os mais atingidos.

O governo de Jalisco anunciou momentos antes da chegada do furacão Patricia ao estado que iria disponibilizar pontes aéreas para remover moradores das áreas de risco.

Diversas autoridades, entre governadores, ministros e integrantes das defesas civis dos estados, se reuníram desde cedo em centros de coordenação de emergência. Foram disponibilizados cerca de 1.800 de abrigos temporários em Jalisco, Colima e Nayarit.

Segundo a Procuradoria Federal de Proteção ao Ambiente do México, ao menos 12 zoológicos podem ser atingidos pela passagem pelo furacão. Também há o risco de vazamentos em 69 centros que trabalham com resíduos tóxicos.

Outro motivo de preocupação para as autoridades mexicanas é a atividade do vulcão de Colima, localizado em um dos estados que estão na trajetória do furacão.

Jornal Midiamax