Mundo

Ataque da Al Shabab ao Ministério da Educação deixa 11 mortos

Tropas da União Africana invadiram o local o mataram os terroristas islâmicos

Clayton Neves Publicado em 14/04/2015, às 19h30

None
alx_sequestro-20150402-08_original.jpeg

Tropas da União Africana invadiram o local o mataram os terroristas islâmicos

Pelo menos onze pessoas morreram nesta terça-feira (14) em um ataque perpetrado pelo grupo islamita Al Shabab na sede do Ministério da Educação da Somália em Mogadíscio. O ataque foi reivindicado pelos jihadistas, que há menos de duas semanas mataram 148 pessoas na Universidade de Garissa, no nordeste do Quênia. Um número indeterminado de homens armados entrou no recinto e foram ouvidos explosões e disparos, embora pouco depois as tropas da União Africana chegaram ao local e mataram os atacantes. “Um carro com explosivos foi detonado na entrada do prédio e em seguida teve início um tiroteio dentro do ministério”, afirmou alguns minutos antes o policial Mohamed Dahir.

Os edifícios governamentais são um alvo recorrente da Al Shabab, que nos últimos anos atacou em várias ocasiões o Palácio Presidencial, o parlamento e vários hotéis muito frequentados por políticos e diplomatas somalis. Em 27 de março, a Al Shabab colocou um carro-bomba no hotel Maka al Mukarama de Mogadíscio, e logo depois vários terroristas entraram no edifício e mataram vinte pessoas antes que as Forças de Segurança retomassem o controle da situação e matassem os milicianos.

Neste ano, 50 pessoas morreram na capital da Somália como consequência dos ataques da Al Shabab, que, apesar de ter perdido grande parte de seu território e influência no sudoeste do país, ainda tem certa capacidade operacional para cometer atentados.

Jornal Midiamax