MidiaMAIS / TV & Novela

Um Lugar ao Sol estreia com acusações de plágio à Usurpadora e autora rebate: 'ela é minha'

"Não percebo uma novidade", pontuou Lícia Manzo

João Ramos Publicado em 08/11/2021, às 13h23

Cauã Reymond interpretará os irmãos Christian e Renato
Cauã Reymond interpretará os irmãos Christian e Renato - (Foto: Reprodução, TV Globo)

Depois de dois anos sem estrear novelas inéditas na faixa das 21 horas, a TV Globo lança, nesta segunda-feira (8), a mais nova atração do horário e principal produto da casa: "Um Lugar ao Sol", o primeiro folhetim das nove inédito em todo esse tempo.

Antes mesmo da estreia, a trama já vem repercutindo por semelhanças com "A Usurpadora", clássico mexicano eternizado no Brasil pelo SBT. As comparações não acontecem apenas com a novela latina, mas com todas as obras que apresentam gêmeos como protagonistas.

Inevitáveis, os comentários de leigos e internautas em geral percebem proximidade nas histórias. Cauã Reymond interpretará os irmãos Christian e Renato. A trama tem como mote principal irmãos gêmeos que foram separados na infância.

Eles acabam vivendo vidas completamente diferentes: enquanto um é estudioso e precisa batalhar muito em busca de uma vida melhor, o outro tem uma vida de luxo. Christian (Cauã Reymond) decide procurar o irmão gêmeo depois da morte da mãe. Porém, ao encontrá-lo, Renato (Cauã Reymond) acaba sofrendo um acidente e morre. Com isso, uma oportunidade surge: Cristian pode assumir o lugar do irmão e ter acesso ao luxo que nunca teve.

Ao ser confundido com o irmão até pela própria namorada do rapaz, Bárbara (Alinne Moraes), Christian assume o lugar do gêmeo morto e deixa tudo para trás. Enquanto isso, Renato é enterrado como se fosse Christian.

Na web, a situação proposta pela obra foi comparada com "Mulheres de Areia" (1993) e "Paraíso Tropical" (2007), além de "A Usurpadora" (1998). Questionada sobre a repetição de entrechos, a autora Lícia Manzo rebateu.

"No Brasil, oportunidades são roubadas diariamente da maior parte da população. É legítimo que eles olhem para o outro lado com muita cobiça. A minha tentativa era não vilanizar esse irmão que toma o lugar do outro, ele é um criminoso 'semiacidental'", declarou a escritora.

Criadora da novela "A Vida da Gente" (2011), sucesso de repercussão com o público, Lícia se defendeu sobre seu primeiro trabalho em horário nobre. "Não percebo uma novidade, percebo uma história que me mova, que seja verdadeira e, neste sentido, acho que ela é nova, porque ela é minha e nasceu de uma necessidade legítima minha", disse.

"E convido a todo mundo a ver e depois me dizer se é um remake de A Usurpadora, Mulheres de Areia ou O Clone", rebateu, quanto às comparações. Abaixo, confira a história de "Um Lugar ao Sol" apresentada pela TV Globo:

Jornal Midiamax