MidiaMAIS / TV & Novela

Talaricagem trocada em 'A Vida da Gente' não comove telespectador do sofá, que tem lado bem definido

10 anos depois, novela ainda gera discussões profundas sobre o relacionamento das irmãs e os limites da injustiça

João Ramos Publicado em 28/05/2021, às 09h54

Traições à parte, maioria dos telespectadores do sofá aparecem apoiando um lado
Traições à parte, maioria dos telespectadores do sofá aparecem apoiando um lado - (TV Globo)

Acordar depois de anos em coma e descobrir que sua irmã se casou com o homem que você amava quando entrou em estado vegetativo não é para qualquer um.

Esse desafio é vivido pela protagonista de "A Vida da Gente", interpretada por Fernanda Vasconcellos. Quando desperta do sono profundo após um acidente debilitador, Ana percebe que a realidade que vivia não existe mais e é obrigada a se encaixar nessa nova perspectiva, tentando encontrar um espacinho para si mesma nas vidas das pessoas, em especial na de sua filha, que chama a tia Manuela (Marjorie Estiano) de mãe.

Nos próximos capítulos, Manuela flagrará um beijo apaixonado entre Ana e Rodrigo e público vibra pelo momento (TV Globo)

Em meio a isso, dentro da personagem é como se o tempo não tivesse passado. Ela acordou com os mesmos sentimentos e ainda nutre amor por sua paixão de adolescência, agora casado com sua irmã. A volta da mocinha também mexeu com Rodrigo (Rafael Cardoso), que teve os sentimentos despertados quando Ana abriu os olhos.

Impedidos pelo casamento dele com Manuela, os dois gostariam de poder viver esse amor do passado interrompido e nunca vivido em plenitude. Adultos e maduros, eles não têm chance pela presença da irmã talarica que aceitou se casar com o namorado que a outra amava.

Tiro trocado não dói

A autora tentou construir um cenário para que o amor das irmãs fosse maior que tudo, mas não montou uma Manuela convincente a ponto de aceitar viver com Rodrigo. Nesse ponto, Lícia Manzo forçou o tipo de sua mocinha para provocar o acontecimento desejado, segundo relatos de fãs da obra.

Irmãs eram cúmplices no início (TV Globo)

"Da forma como foi apresentada, Manuela jamais ficaria com Rodrigo na ausência da irmã, e acaba se tornando uma personagem incoerente e incompreensível para o público que, em sua maioria, não aceita a traição dela com a Ana", relata a telespectadora assídua da novela Camila Sales ao Jornal Midiamax

Dizem que tiro trocado não dói, então talaricagem trocada também não. Acesos pelo romance impossível, Rodrigo e Ana se entregaram à paixão e não conseguiram resistir a um beijo no capítulo exibido nesta quinta-feira (27) pela TV Globo.

Beijo foi aclamado nas redes sociais e telespectadores chegaram a dizer "bem feito" para Manuela (TV Globo)

O casal mobiliza a audiência, que teve torcida e princípios ignorados em 2011. "No final, eles não conseguem reaver sua paixão e a autora enfia goela abaixo, sem maiores e convincentes construções, que o amor entre Manu e Rodrigo era maduro e tinha base, afirmando que Ana e ele tiveram apenas uma paixão adolescente", diz Lúcia Moraes, psicóloga que acompanhou o folhetim em 2011 e se recusa a ver a reprise.

Até a última semana da trama, o casal continua declarando seu amor, mas no final Ana fica com Lúcio e Manuela com Rodrigo. 10 anos se passaram e o público não aceita esse fim considerado subversivo. Prova disso são os comentários na web que mostram indignação pela forma como a novela e alguns outros telespectadores santificam Manuela, afirmando que a maior injustiçada da história é Ana Fonseca.

Final da trama é considerado forçado (TV Globo)

"É subversiva a forma como a autora sobrepõe Manuela nas situações e incapacita Ana, fazendo a mesma abrir mão de sua vida em nome de um amor por uma irmã. Mas, em sã consciência, que irmã perdoaria a outra depois de acordar de um coma de anos e descobrir que ela está casada com a pessoa que você ama? Você perdoaria?", reflete Lúcia.

Ana até surtou com Manu quando descobriu tudo, mas depois acabou perdoando a irmã (TV Globo)

Ainda existe uma parcela do público que pouco se coloca no lugar de Ana Fonseca e endeusa Manuela, muito mais por uma predileção cega à atriz Marjorie Estiano, e isso interfere na leitura da trama, segundo telespectador. "Se colocar no lugar de Manu, que ficou anos acordada, vivendo, é fácil. Difícil é pensar o que você faria se despertasse depois de tanto tempo e desse de cara com essa situação", diz o fã da trama, Anderson Melo, ao MidiaMAIS.

Rodrigo, personagem de Rafael Cardoso, também é visto com negação em meio a situação, mas a revolta em cima de Manuela é pela relação afetiva e familiar que nutre com Ana. "Rodrigo só por Deus, é um banana. Mas ele ainda tenta muitas vezes, até o final, ficar com a Ana, que não se permite por causa da Manu até o último capítulo. Então a grande responsável por isso é a Manuela", afirma Camila.

"Somos telespectadores do sofá, não de internet. Na internet ainda tem um barulho em cima da Manuela, mas conversa com 10 pessoas que assistem a novela todos os dias na frente da televisão na hora que passa, e não no Globoplay ou streaming, pergunta pra elas o que elas acham. Garanto que as 10 estão com Ana", finaliza Anderson.

Jornal Midiamax