MidiaMAIS / TV & Novela

Enquanto emissoras esgotam realities, Band se resguarda e prepara MasterChef na surdina

Na corrida pela fidelização, a demora do programa, no entanto, pode acabar sendo um tiro no pé

João Ramos Publicado em 20/05/2021, às 09h59

Disputa é acirrada no ano dos realities, telespectador não tem folga
Disputa é acirrada no ano dos realities, telespectador não tem folga - (Reprodução)

Em 2021, as emissoras de TV aberta estão investindo pesado na produção contínua e ininterrupta de realities shows. Percebendo a explosão do formato na pandemia em 2020, Globo, SBT e RecordTV se prepararam para oferecer esse tipo de entretenimento durante o ano inteirinho.

Notando a alta repercussão e interação por parte de uma audiência, praticamente obrigada a ficar em casa, os canais decidiram, em atitude extrema, apostar numa temporada repleta dos programas de show de realidade, sem dar folga para o telespectador com as mais diversas opções.

"The Voice Mais" e "BBB" foram os primeiros do ano (TV Globo)

Este ano, a TV Globo começou com o "The Voice Mais", lançando até uma nova versão do show de talentos. Em seguida, veio o "Big Brother Brasil 21", com a temporada mais longeva da história, totalizando 100 programas.

Sem respiro, dois dias após o fim do BBB, a emissora deu início à nova temporada de "Mestre do Sabor", reality culinário que vai durar um bom tempo na programação. Uma semana depois da final do "Big Brother", a Globo também estreou o "No Limite", que ficará no ar até a metade agosto. No segundo semestre, a promessa é uma nova temporada do "The Voice Brasil".

Últimas estreias da Globo, que promete ainda mais realities em 2021 (TV Globo)

Concorrência acirrada

Enquanto isso, a RecordTV retomou o "Power Couple Brasil" há poucos dias, esperando o fim do BBB 21. Ao mesmo tempo, a emissora já produz "A Ilha dos Famosos", uma espécie de "No Limite", só que exibido diariamente e promovendo o confinamento entre os participantes.

"Ilha" tem estreia prevista para 25 de julho e vai ocupar o espaço entre o fim do "Power Couple" e o início de "A Fazenda 13", fazendo a RecordTV também não dar descanso ao telespectador até o fim do ano.

Adriane Galisteu é a nova cara do "Power Couple" e emissora já divulgou logo de "A Ilha dos Famosos" (RecordTV)

O SBT segue sua rotina de realities aos sábados normalmente, mas depois de anos, a emissora apostou em um novo formato e lançou "Mestres da Sabotagem" em abril, no horário anteriormente ocupado pela "Fábrica de Casamentos".

Antes disso, o canal de Silvio Santos reinventou o "Bake Off Brasil" e produziu uma temporada inédita e exclusiva com celebridades durante a pandemia, resgatando parte do prestígio do reality, perdido pelo desgaste.

Donny De Nuccio venceu o "Bake Off Celebridades" e Sérgio Marone apresenta o "Mestres da Sabotagem" (SBT)

Na contramão

A Band, no entanto, não acompanha esse ritmo e deu uma folga ao seu principal produto :o "MasterChef Brasil". Quietinha, a emissora vem trabalhando na produção que tem estreia prevista para o dia 06 de julho.

Sem gravações iniciadas, o reality da Bandeirantes trabalha em ritmo mais lento e sem fazer muito alarde, preservando o programa e deixando as demais emissoras esgotarem o telespectador com tantas opções.

Estrear em meio a essa overdose de realities shows pode acabar prejudicando o próprio "MasterChef". Em julho, bem na metade do ano, se o público já estiver cansado de acompanhar tantos programas do mesmo estilo e com torcida, o interesse pode diminuir.

Foto oficial da nova temporada do "MasterChef Brasil", já com a nova jurada (Band)

Riscos

Há também a estreia de Helena Rizzo, nova chef jurada do "MasterChef", substituta de Paola Carosella. Sem Paola, o reality perde a força, já que ela sempre foi figura carimbada e uma das mais queridas pelo público.

Enquanto todas as outras emissoras entregam programas sem parar, a "demora" do "MasterChef" a entrar nessa corrida e a ausência da chef argentina podem afugentar o público já, possivelmente saturado, dessa maratona sem fim proposta pelas emissoras em 2021.

Nunca antes a TV aberta ofereceu tantos realities em um ano só e todos ao mesmo tempo, sem pausa, sem respiro. Se aproveitando da pandemia e acreditando num telespectador desocupado, as emissoras abusam dos formatos e esquecem que podem cansar a audiência.

Jornal Midiamax