MidiaMAIS / TV & Novela

Após início inovador, Gênesis decai e vira novela qualquer na Record

Divulgada como superprodução e iniciada há dois meses, a novela “Gênesis” da RecordTV impressionou em seus primeiros capítulos. Especialmente durante as fases que contemplavam as histórias de Adão e Eva no Jardim do Éden e a de Noé construindo a arca para o dilúvio. Mas parece ter sido justamente o dilúvio que levou embora o […]

João Ramos Publicado em 08/03/2021, às 13h45 - Atualizado às 13h56

(Foto: Reprodução/RecordTV)
(Foto: Reprodução/RecordTV) - (Foto: Reprodução/RecordTV)

Divulgada como superprodução e iniciada há dois meses, a novela “Gênesis” da RecordTV impressionou em seus primeiros capítulos. Especialmente durante as fases que contemplavam as histórias de Adão e Eva no Jardim do Éden e a de Noé construindo a arca para o dilúvio.

Mas parece ter sido justamente o dilúvio que levou embora o público da trama junto com a superprodução anunciada. As duas primeiras fases contaram com uma narrativa diferente das demais novelas bíblicas apresentadas pela RecordTV até então. Muito ágil, a novela trocava de personagens e renovava todo o elenco mais de uma vez por semana. Vários atores chegaram a participar de apenas um capítulo.

A fase de Adão e Eva apresentou uma novela bíblica diferente para o público. Cheia de efeitos especiais e atuações marcantes, a representação do livro agradou o telespectador da Record e até conseguiu acumular mais audiência para o horário.

Em seguida veio a história da Arca de Noé, que carimbou a superprodução, bateu recordes e parecia ter fidelizado o público. O capítulo do dilúvio, exibido em 27 de janeiro, é responsável por ter marcado o maior ibope da trama até agora. A saga de Noé durou exatos cinco capítulos, enquanto a de Adão e Eva durou apenas três.

A partir daí, teve início a fase da Torre de Babel, que apresentou estética e linguagem muito parecidas com as de todos os outros folhetins bíblicos da emissora, destoando das fases anteriores que impressionaram o público pela tecnologia e principalmente pela linguagem.

Números

Desde a história da construção da Torre, a trama já trocou de fase mais duas vezes e vem perdendo público a cada mudança. Enquanto as duas primeiras semanas (Éden e Noé) fecharam na casa dos 16 pontos de audiência, na semana passada a novela marcou uma média semanal de 11.8 pontos.

O início parecia ser algo diferente e inovador. Com o desenrolar da história, a impressão é que ela se tornou mais do mesmo já feito outras diversas vezes pela emissora. O telespectador se desinteressou e a audiência caiu. Não durou mais que oito capítulos o estilo diferente de dramaturgia proposto pelo folhetim.

Jornal Midiamax