Após Enio Martins Murad, advogado de que atua no caso , revelar neste domingo (4) que o filho da apresentadora, Alezinho, está processando a própria mãe, a assessoria da modelo se manifestou. Segundo Enio, que atua na defesa de Alexandre Corrêa, ex-marido de Ana Hickmann, o menino, de 8 anos, estaria com o pai em uma ação movida contra a comunicadora.

Para a revista Caras, a assessoria de Ana Hickmann informou que “diante de todas as acusações e violências, Ana protege e poupa o filho de ter acesso aos conteúdos constrangedores aos quais é submetida e lamenta a forma com que Alexandre Correa usa e manipula a em benefício próprio”.

No comunicado enviado, eles pontuam ainda que “Alexandre é réu no caso de violência doméstica e adota condutas imorais para tentar prejudicar e descredibilizar Ana Hickmann. Nunca houve alienação parental por parte dela, tendo o judiciário negado todas as tentativas anteriores do ex-marido”.

Entenda

Durante uma live com o jornalista Ricardo Feltrin no YouTube, Enio Martins Murad afirmou que “o Alexandre exerce o pátrio poder. O Alexandre e o Alezinho foram vítimas de alienação parental, e o Alexandre de injúria e difamação em canal aberto. Então, o Alezinho e o Alexandre estão processando a Record e a Ana Hickmann por danos morais e materiais”.

Murad ainda relembrou que já atuou na defesa de Ana Hickmann em outros processos, inclusive contra um jornalista em Mato Grosso do Sul.

“Lamento que hoje estejamos em lados opostos. Não entramos nessa briga por vontade própria, nós estamos apenas nos defendendo das acusações. Lamento, profundamente, estar tendo um embate jurídico com Ana Hickmann porque eu já defendi ela e o Alexandre na carreira brilhante que o casal teve. É lamentável”, disse ele.

Questionado por Feltrin sobre sua carreira, o advogado relatou que iniciou sua vida profissional sendo professor de filosofia e sociologia na rede pública estadual de ensino em Mato Grosso do Sul, aos 19 anos. Depois, formou-se em .

“Minha especialidade sempre foi o Direito Público, mas, recentemente, eu me especializei na Lei Maria da Penha”, contou.