MidiaMAIS / Famosos

Ex-diretor relembra acidente que quase matou bailarinas do ‘Domingão do Faustão’

A queda de uma barra de ferro durante gravações em 1993 quase matou bailarinas do elenco, se não fosse o destino e um comercial inesperado

Carlos Yukio Publicado em 23/07/2020, às 12h29 - Atualizado em 24/07/2020, às 12h41

None
GSegundo colunista, Faustão deve voltar para a Band após saída da Globo

Detto Costa, primeiro diretor do “Domingão do Faustão”, falou nas redes sociais sobre um acidente que aconteceu no programa em 1993 e quase virou tragédia. Segundo ele, o episódio aconteceu no Teatro Fênix, na Zona Sul do Rio, e foi escondido por mais de 27 anos. A queda de uma barra de ferro quase matou bailarinas do elenco, se não fosse o destino e um comercial.

Ele contou que o programa estava correndo normalmente quando o então assistente de palco e atual diretor artístico da atração, Jayme Praça, o avisou que faltavam 15 minutos e um comercial até o fim da atração.

“Comercial entra e com 30 segundos, eu, pela primeira vez, olho para o relógio. Surpresa: tudo muda, ainda faltavam 35 minutos para o encerramento do programa! Aviso às bailarinas que podiam sair de cena. Todas saem. Estavam exaustas. Altero o roteiro e aviso que, depois dos comerciais, entraria o Jogo da Velha, já gravado com 20 minutos”, inciou Detto Costa.

“Susto! Com 3 minutos de comercial, um estrondo fora do comum, paralisa todo mundo. Era um barulho de explosão! O que aconteceu? Nisso a coreógrafa Sylvia Ann, pálida e trêmula me procura e diz: ‘Venha ver o que aconteceu! Venha logo!'”, continuou.

Uma barra de ferro havia caído justamente onde ficavam as bailarinas do programa. “Nos degraus do cenário onde ficava o balé, caiu do teto uma barra de ferro com refletores do comprimento do palco, pesando aproximadamente 120 quilos. A queda da enorme barra arrebentou fundo o local onde estariam as bailarinas, o que seria uma tragédia sem precedentes ao vivo!”, disse.

Segundo ele, o acidente só não resultou em tragédia pela “providência divina”. “Fizemos o resto do programa, sem o balé, mas com todas vivas, graças ao comercial salvador e eu agradecendo a Deus por não ter olhado o relógio, pela primeira vez na vida, em um programa ao vivo!”.

Jornal Midiamax