MidiaMAIS / Famosos

Defesa de Dani Calabresa repudia reação de Marcius Melhem

Advogada de Dani Calabresa e de outras cinco mulheres que acusam o ator e diretor Marcius Melhem de assédio sexual e moral

Carlos Yukio Publicado em 07/12/2020, às 07h27

None
Marcius Melhem reuniu mensagens trocadas com Dani Calabresa para que a humorista negue ou confirme o teor da reportagem da Piauí, segundo a qual ele a teria assediado. A finalidade do ator e diretor é provar que, entre 2017 e 2019, os dois mantinham uma...

Advogada de Dani Calabresa e de outras cinco mulheres que acusam o ator e diretor Marcius Melhem de assédio sexual e moral, Mayra Cotta deu uma entrevista exclusiva ao jornalista Roberto Cabrini. Na reportagem, veiculada na edição deste domingo (6) do Domingo Espetacular, ela falou sobre o fato de Melhem ter dito que vai processá-la.

“Eu acho lamentável que uma advogada, representando vítimas de assédio sexual, seja também colocada na posição de vítima, diante de uma ameaça desse tipo. Acho perigoso que a função de advogada esteja sendo ameaçada desse jeito”, afirmou.

Em mensagem enviada a Roberto Cabrini por escrito, e exibida na reportagem, Melhem declarou: “Em respeito a você e a seus telespectadores, preciso esclarecer que mais uma vez a advogada Mayra Cotta vai à imprensa ao invés de ir à Justiça para buscar a reparação às mulheres que ela representa. Venho a público reafirmar que são acusações mentirosas. Nunca tranquei ninguém, nunca chantageei ninguém, nunca forcei ninguém a nada. Por essa razão, estou processando a advogada Mayra Cotta.”

Ao ser perguntada por Cabrini sobre como ela recebe o fato de que Melhem tenta praticamente desvalorizar a denúncia, a advogada respondeu: “Eu recebo isso de uma maneira triste, mas não surpresa. Acho que é a tática mais antiga entre os assediadores, de tentar desacreditar, reduzir, diminuir a dor das vítimas.”

A respeito de que Dani Calabresa não teria relatado os fatos do modo como aconteceram, como disse Melhem, Cotta se posicionou dizendo que “Isso também é esperado. É lamentável que ele tente reduzir a violência do que aconteceu com ela.”

E acrescentou que existem provas de que episódios de assédio moral e sexual realmente ocorreram. “Existe a palavra das vítimas, existe uma investigação interna e existem testemunhas”, afirmou.

Jornal Midiamax