MidiaMAIS / Cinema

TVE Cultura e MIS têm papel fundamental na preservação da memória e da identidade cultural de MS, diz Bosco Martins

O Museu da Imagem e do Som (MIS) em parceria com a TVE Cultura MS promovem o II curso de documentário: MS em Imagens e Sons

Carlos Yukio Publicado em 07/12/2020, às 10h04

None
TVE Cultura e MIS têm papel fundamental na preservação da memória e da identidade cultural de MS, diz Bosco Martins

O Museu da Imagem e do Som de Mato Grosso do Sul (MIS), unidade da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS) em parceria com a TVE Cultura MS promovem o II curso de documentário: MS em Imagens e Sons. O evento é gratuito e ocorrerá em uma etapa online e outra presencial, direcionado para pessoas a partir de 15 anos, que moram na capital ou interior e que tenham conhecimentos básicos do Audiovisual. A pré-inscrição pode ser feita de 04 a 18 de dezembro pelo link https://bit.ly/InscricaoCursoDocMIS para a seleção de 30 participantes.

O dirigente da Fertel, Bosco Martins, destacou em live sobre curso de documentário na última sexta-feira (4), o enorme acervo da TVE Cultura e arquivos do Museu da Imagem e do Som como importantes registros da “genética” cultural de Mato Grosso do Sul. Em 15 de janeiro de 2021 serão divulgados os nomes de 30 selecionados para a produção de filmes documentários.

O modo como foi se moldando a identidade cultural do Estado pode ser entendido quando se mergulha na história. E muito da história está registrada e preservada por meio das produções audiovisuais. Essas produções retratam como os componentes da genética cultural – a música, a dança, artes plásticas, cinema, artesanato, gastronomia e festas populares – influenciaram no processo de afirmação da identidade cultural de Mato Grosso do Sul.

Apontando para esse viés o diretor-presidente da Fundação Estadual Jornalista Luiz Chagas de Rádio e TV Educativa (Fertel), jornalista Bosco Martins, destacou a importância da iniciativa do MIS (Museu da Imagem e do Som) de oferecer curso de documentário, estimulando a produção audiovisual. Em 15 de janeiro de 2021 serão divulgados os nomes de 30 selecionados para a produção de filmes documentários.

“As produções audiovisuais nos mostram que a formação cultural do sul-mato-grossense está associada à diversidade cultural e ambiental. A música, o teatro, a dança, o cinema, artesanato, artes plásticas e a culinária são fortes componentes da nossa identidade, por isso a produção audiovisual tem muita importância no registro da história, em todos seus processos, social, econômico e cultural”, disse o jornalista Bosco Martins, lembrando da escritora e historiadora Glória Sá Rosa, que defendia a documentação das manifestações, das tradições e costumes, do desenvolvimento social como elemento da identidade cultural do Estado.

Para o gerente de Patrimônio Cultural da FCMS, Caciano Lima, mesmo sendo um estado novo, MS tem uma cultura muito rica e algumas produções ficam soltas e até se perdem, daí a importância da parceria da TVE Cultura e MIS para a preservação da memória. Ele destacou o papel do museu e da emissora como “salvaguardas” do acervo cultural e a iniciativa de estimular a produção audiovisual com o resgate de fatos, eventos e manifestações registrados e arquivados.

O presidente da FCMS, Gustavo de Arruda Castelo, afirmou que o incentivo à produção audiovisual fortalece o movimento cultural, enriquece o patrimônio histórico e também cria oportunidades para a formação de profissionais nas áreas de comunicação e arte. Segundo ele, as artes, os movimentos sociais e as manifestações populares motivam a integração de culturas e todos esses elementos se constituem na memória do Estado, que tem uma identidade bastante singular.

“Nossa proposta é que os participantes utilizem suas caixinhas de recordações, suas memórias juntamente com os acervos do MIS e da TVE para contarem suas histórias. Porque a sociedade se constrói com pessoas comuns e suas histórias, que devem ser compartilhadas para que tenhamos um entendimento melhor em que sociedade vivemos”, diz a coordenadora do MIS, Marinete Pinheiro.

O curso de documentário

MS em Imagens e Sons é fruto do Prêmio Darcy Ribeiro do Instituto Brasileiro de Museu (IBRAM) recebido neste ano pelo Museu da Imagem e do Som, em reconhecimento à ação educativa desenvolvida em 2017 com o curso de documentário MS 40 anos em Histórias Cinematográficas.

O curso será ministrado por Marinete Pinheiro (coordenadora do MIS) e Carlos Diehl (produtor executivo da TVE Cultura MS). A ideia é produzir filmes documentários utilizando material de arquivo/acervo do MIS e da TVE, incentivando nesse trabalho a utilização também de registros fotográficos, objetos de época, vídeos e depoimentos dos habitantes. As inscrições vão até 18 de dezembro e a lista dos 30 selecionados será divulgada em 15 de janeiro. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3316-9140 ou email [email protected]

Jornal Midiamax