MidiaMAIS / Cinema

Diretor de “Guardiões da Galáxia” é demitido após tweets sobre pedofilia e atores pedem sua volta

O diretor James Gunn foi demitido na última sexta-feira após o vazamento de vários tweets antigos relacionados à pedofilia.

Carlos Yukio Publicado em 23/07/2018, às 09h58 - Atualizado às 11h17

None
James Gunn foi demitido na sexta-feira (20) após vazamento de tweets com teor pedófilo.

O diretor James Gunn foi demitido na última sexta-feira após o vazamento de vários tweets antigos relacionados à pedofilia. James perdeu o cargo de diretor da franquia “Guardiões da Galáxia” através de decisão da Disney de afastá-lo. Ao site The Wrap, o diretor comentou a decisão da empresa em demiti-lo da produção do filme.

“Meus comentários de quase uma década atrás, na época, falharam na intenção de provocar. Eu me arrependi deles por muitos anos –não apenas por serem estúpidos, sem graça, insensíveis e certamente não tão provocativos quanto imaginei, mas porque não refletem a pessoa que sou hoje e tenho sido por um bom tempo”, afirmou.

Os tweets resgatados foram encontrados por apoiadores de Trump que querem provar que existe uma “conspiração operando em Hollywood”. James era opositor de Trump. Nos tweets, James aparece falando “Eu gosto quando meninos tocam nas minhas partes baixas”; “Estou adaptando ‘The Giving Tree’ com um final feliz, quando árvore cresce de novo e faz sexo oral na criança”, dentre outros de mesmo teor repugnante.

Para o diretor de “Guardiões da Galáxia” e “Guardiões da Galáxia Vol 2”, não há outra alternativa além de aceitar a consequência dos tweets: “Apesar de tanto tempo já ter passado, eu entendo e aceito as decisões tomadas hoje. Ainda após tantos anos, eu tenho total responsabilidade pelo jeito com o qual me conduzi”.

Gunn finalizou a declaração com um pedido de desculpas: “Tudo o que posso fazer agora, além de oferecer minhas sinceras desculpas, é ser o melhor ser humano possível: aceitar, entender, me comprometer com a igualdade e ser muito mais cuidadoso com minhas opiniões públicas. Para todos dentro da minha indústria e além, novamente peço minhas sinceras desculpas”.

Controvérsia

Por meio do Twitter, personalidades do ramo hollywoodiano, como Selma Blair, David Dastmalchian e Dave Bautista (o Drax de Guardiões da Galáxia), se posicionaram em apoio e solidariedade ao cineasta, afirmando que todos merecem uma “segunda chance”.

“Eu tenho mais a dizer sobre isso, mas agora, eu direi isto: James Gunn é uma das pessoas mais amáveis, atenciosas e de boa natureza que eu já conheci. Ele é gentil e se importa profundamente com pessoas e animais. Ele cometeu erros. Nós todos cometemos. Eu não estou bem com isso que está acontecendo com ele” escreveu Dave Bautista no Twitter.

https://twitter.com/SelmaBlair/status/1020913925594857473

A atriz Selma Blair defendeu o diretor ao dizer que Gunn é um dos poucos homens bons no mundo. “Se as pessoas são punidas apesar de mudarem, então como vamos ensinar as pessoas a aprender com seus erros e evoluir? Esse homem é um dos caras bons”.

David Dastmalchian, ator de Homem-Formiga e a Vespa, publicou uma foto com James no Instagram com a legenda: “Tenho dito isso há anos: James Gunn é uma das pessoas mais maravilhosas que já conheci – profissional e pessoalmente. Há tantas pessoas em nossas vidas que nunca teríamos conhecido sem o talento e a benção de James (e sua parceira Jennifer Holland). Obrigado por fazer parte da nossa família, cara”.

Até uma petição foi feita por fãs em prol do retorno do diretor a ‘Guardiões da Galáxia Vol. 3’, que tem estreia prevista nos cinemas para 2020.

Jornal Midiamax