No próximo final de semana (27) acontece a 12ª Edição do concurso Miss e Mister Indígena de . O evento acontece na Escola Municipal Tengatuí Marangatu, na Aldeia Jaguapiru, a partir das 19 horas e conta com um júri qualificado.

Os participantes desfilarão com trajes típicos de suas respectivas culturas indígenas, representando o povo Guarani, Terena e Kaiowá, indígenas residentes na maior Reserva Indígena do Brasil em população, com cerca de 18 mil habitantes.

Especificamente nessa edição, os trajes típicos foram produzidos pelos próprios candidatos, em oficinas oferecidas por um , que foi contemplado na Lei Paulo Gustavo Municipal, intitulado Ñañemonde Porã (Nos vestindo bem).

As roupas típicas, que incluem as vestimentas tradicionais, acessórios e pinturas corporais que representam a identidade étnica e cultural de cada concorrente, foram pensadas após cada um deles terem escutas com anciões indígenas de cada etnia.

Segundo os organizadores do evento, o concurso Miss e Mister Indígena de Dourados serve como uma plataforma para promover a conscientização sobre questões importantes que afetam as comunidades indígenas, como direitos territoriais, preservação ambiental, saúde e .

Entre os concorrentes de 2023, a jovem Kaiowá, Tais Caroline Vera Arévalo, de 18 anos, moradora na Aldeia Bororó, e o Terena Rassis Junior Garcia Rodrigues, da mesma idade, foram escolhidos durante a 11ª edição.

Eles receberam as faixas dos antecessores Ejekelhim Souares Veron e Jordan Charles Rodrigues, eleitos em . Eles conquistaram as melhores notas do corpo de jurados que avaliaram simpatia, desenvoltura, traços indígenas e roupa típica.