A esperada vitória de Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo se confirmou: o adorado pelas jovens gerações levou sete dos 11 Oscars que disputava, na noite deste domingo, 12. E ganhou nas principais categorias, como ator (Ke Huy Quan) e atriz (Jamie Lee Curtis) coadjuvantes, direção (Daniel Kwan e Daniel Scheinert), atriz (Michele Yeoh) e melhor produção do ano.

O único “estranho no ninho” foi Brendan Fraser, melhor ator por A Baleia. “Isso sim é estar no multiverso”, disse ele, emocionado. Igualmente tocada, Michele dedicou o prêmio a sua mãe, pois, “sem mães, não haveria super-heróis no mundo”, comentou. O grande perdedor da noite foi Steven Spielberg: seu filme autobiográfico Os Fabelmans concorria a 7 estatuetas e não levou nenhuma.

A 95.ª festa do Oscar começou com um prêmio considerado como certo: o de melhor animação para Pinóquio, de Guillermo del Toro “Animação é um tipo especial de ”, disse ele que, na sala de imprensa, creditou o sucesso do filme ao aprendizado dos personagens. “O menino aprende a ser uma criança e o pai aprende a ser pai. O longa fala principalmente de esperança”, afirmou Del Toro, que venceu seu terceiro Oscar.

Antes da premiação do cineasta mexicano, o comediante Jimmy Kimmel, que comanda o Oscar pela terceira vez, fez comentários irônicos sobre o grande fato do ano passado: o inesperado tapa de Will Smith em Chris Rock. “A gente está com uma política muito séria aqui: se em algum momento alguém vier aqui para fazer um ato de violência, vai receber um Oscar de melhor ator e poder fazer um discurso de 19 minutos”, ironizou sobre o fato de Smith ter sido agraciado com a estatueta, por King Richard: Criando Campeãs, no mesmo dia em que praticou a agressão.

“Posso assegurar que todos aqui estão seguros”, brincou ele, acrescentando. “Não apenas pela segurança do teatro mas porque estamos aqui com diversos super-heróis como Homem-Aranha (surgiu na tela Andrew Garfield) e The Fabelmans (e a câmera mostra Steven Spielberg).

A cerimônia teve início com um clipe mostrando os bastidores das diversas filmagens, para enaltecer o trabalho dos artistas que estariam competindo em seguida em diversas categorias. Na sequência, o apresentador Jimmy Kimmel chegou ao palco flutuando em um paraquedas. Referência a uma das grandes bilheterias do ano, Top Gun: Maverick. Foi a deixa para ele ressaltar que os filmes concorrentes foram feitos para serem vistos no cinema. E também homenageou os nomes que enobrecem a arte cinematográfica, como o diretor Steven Spielberg.

“É um ano tão estranho que Spielberg fez um filme sobre Spielberg”, brincou Kimmel, lembrando que o cineasta é o único a ser indicado em cada década durante 60 anos. A defesa do cinema tradicional inspirou outras piadas do comediante, como sobre as ausências de Tom Cruise e James Cameron. “Justamente os caras que mais defendem ver filmes no cinema não estão na festa do cinema”, comentou ele.

Aplaudidos de pé, Jamie Lee Curtis e Ke Huy Quan subiram ao palco para receber os mais do que esperados prêmios de melhores coadjuvantes, ambos por Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo. “Esse é o verdadeiro sonho americano”, falou Quan, entre lágrimas, com o sentimento de quem deu a volta por cima. Também chorando, Jamie lembrou o parentesco ilustre ao agradecer: “Meu pai (Tony Curtis) e minha mãe (Janet Leigh) foram ambos indicados para o Oscar em diferentes categorias – e eu acabei de ganhar um Oscar!”, disse ela, olhando para o alto.

Ela dominou a entrevista coletiva após receber o prêmio. Divertida, fez piada sobre as perguntas feitas online por jornalistas que não estão em (“Ai meu Deus, a pessoa não pode comer como vocês, aqui na sala de imprensa, vai estar mal-humorada”, brincou). Mas foi incisiva sobre a quantidade ainda menor de mulheres indicadas para o Oscar. “Eu queria ver mais mulheres e pessoas de outros gêneros indicadas para algum Oscar. Mas isso leva a outra questão: sobre termos categorias sem definição de gênero, pois nós, mulheres, teríamos menos possibilidades de vitória. É uma questão delicada, temos de pensar muito antes de tomar alguma atitude”, observou.

Latinos

Outra parcela com pouca representatividade no Oscar deste ano entre os indicados foi a de latinos. E um longa que se acreditava ter grande chances de vitória, Argentina, 1985, foi derrotado pelo alemão Nada de Novo no Front na disputa de filme internacional. Longa de guerra que abomina a guerra, Nada de Novo é resultado de um trabalho em grupo, como observou o diretor Edward Berger. “Este foi o seu primeiro filme e você nos carregou nos ombros como se não fosse nada”, disse ele a Felix Kammerer, o ator austríaco de 27 anos.

Conheça os principais ganhadores do Oscar 2023:

Filme

Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo.

Atriz

Michelle Yeoh, de Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo.

Ator

Brendan Fraser, de A Baleia.

Atriz coadjuvante

Jamie Lee Curtis, de Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo.

Ator coadjuvante

Kevin Huy Quan, de Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo.

Direção

Daniel Kwan e Daniel Scheinert, de Tudo em Todo Lugar.

Filme Internacional

Nada de Novo no Front, de Edward Berger.

Animação

Pinóquio, Guillermo del Toro.

Roteiro original

Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo, de Daniel Scheinert e Daniel Kwan.

Roteiro adaptado

Entre Mulheres, de Sarah Polley.

Música original

Naatu Naatu, de RRR: Revolta, Rebelião, Revolução.