O carioca, ex-militar e ex-taxista, Fernando Bataglia, de 44 anos, é um dos seis participantes da 2ª temporada de “Duelo dos Marceneiros”. Na profissão desde 2015, tudo começou de forma despretensiosa, intuitiva e com o auxílio da internet. É que seus primeiros móveis, na verdade, eram para a sua casa.

Autodidata e recém-recuperado de um acidente, Fernando usou da criatividade e força de vontade para produzir as peças que precisava, manualmente e sem o maquinário necessário. Conforme suas peças começaram a ficar prontas, amigos e familiares viram que ele levava jeito e que todos os seus projetos eram muito bem feitos, assim, as primeiras encomendas começaram a ser feitas.

Com seu trabalho crescendo cada vez mais, Fernando decidiu apostar em sua nova descoberta profissional e juntou o dinheiro necessário para comprar seu primeiro maquinário, uma esquadrejadeira. A partir daí, sua dedicação à profissão se tornou integral, até passar ser sua principal fonte de renda.

Hoje, Fernando é a prova de que não há tempo e idade ideal para mudar a rota e se dedicar àquilo que se gosta. “[Comecei] pela necessidade e por ter muita força de vontade. Foi uma área que eu passei a gostar muito e não me vejo mais sem”, pontua ele. “Tudo na marcenaria me encanta. Já tentei duas faculdades, mas não concluí nenhuma por causa da marcenaria. Sou apaixonado por essa profissão e não me vejo fazendo outra coisa”.

E o que fez Fernando querer participar de um reality?

Segundo o marceneiro, a vontade de participar do “Duelo dos Marceneiros” veio de se desafiar e mostrar para as pessoas que nunca é tarde para fazer aquilo que se tem vontade.

“Participar do duelo foi uma forma que encontrei de mostrar um pouco do que eu sei para alguém que está começando na área”, explica.

E, embora ele não conheça os outros profissionais que disputarão o prêmio de R$10 mil com ele nesta edição do programa, Fernando reforça que torce para que surja novas amizades e muita parceria entre eles. “Nós não somos inimigos, somos adversários apenas na competição”.

Fernando Bataglia. (Alicce Rodrigues, Jornal Midiamax)

Estratégia de jogo e relação com o elenco

Apesar de entrar na competição sem conhecer o trabalho dos outros participantes, Fernando afirma que “todos são fortes concorrentes e que não dá para menosprezar ou diminuir ninguém”. Para ele, “esta será uma disputa acirrada, sem perdedor”. “Todos nós já somos vencedores só por ser escolhidos”, pontua.

Já sobre sua estratégia de jogo, o marceneiro avalia que o que pode levar ele a conquistar o prêmio é o diferencial na finalização da peça. “Vou ganhar porque com certeza eu devo apresentar um ‘degrauzinho’ a mais num serviço ou projeto, do que meu outro concorrente”, pontua. “Mas não tenho aquele ego inflado de ser melhor que os outros. Eu acredito que estou no nível um pouco abaixo ou igual aos outros, mas não melhor do que ninguém”, afirma.

Para Fernando, seu maior desafio na competição será o tempo de prova e a técnica de ripado de madeira, o “calcanhar de Aquiles” de vários marceneiros.

Fernando Bataglia. (Alicce Rodrigues, Jornal Midiamax)