Foi suspensa pela Econômica Federal a exposição ‘O Grito!’, que estava disponível para o público desde o dia 17 de outubro, na Caixa Cultural de Brasília. A decisão foi tomada após uma repercussão negativa da coleção ‘Bandeiras’, da artista plástica Marília Scarabello, que expunha um painel com diversas bandeiras do Brasil manipuladas digitalmente ao longo dos últimos anos.

No entanto, duas chamaram a atenção e levaram à decisão de cancelar a exposição: uma imagem que mostrava o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) defecando em uma bandeira do Brasil e outra, que colocava a senadora (Republicanos-DF), o ex-ministro da Economia Paulo Guedes e o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), em um uma lata de lixo.

Um dos artistas que participou da exposição é o sul-mato-grossense Evandro Padro. O Jornal Midiamax conversou com ele, que falou sobre a justificativa dada para o cancelamento da exposição.

“O que aconteceu foi que a exposição tinha mais de 30 obras. Uma dessas 30 obras era composta por 600 bandeiras do Brasil retiradas da internet, são memes. E entre essas 600 bandeiras tinham umas 10 polêmicas. Então assim, foi o detalhe de uma obra dentro de 30 obras. E a exposição foi cancelada porque essas bandeiras polêmicas geraram indignação na extrema-direita”, explica o artista.

Evandro ainda pontua que diversos políticos pressionaram politicamente a Caixa, alegando que estava sendo gasto dinheiro público com propaganda política. A instituição acabou sedendo à pressão e fechando a exposição. “Mas a obra não era bolsonarista, a obra não era petista, nada disso. Era uma coleção de bandeiras de todas as vertentes. Tinha anti-Lula, pró-Lula, anti-Bolsonaro, pró-Bolsonaro… Era sobre a bandeira do Brasil e a manipulação dessas imagens”, afirma Evandro.

“E isso foi manipulado tanto pela extrema-direita, mas também depois pela mídia. Após a exposição ser fechada, alguns meios de comunicação postaram que a exposição colocava Arthur Lira na lata de lixo. Era uma das 600 bandeiras, que tinha Arthur Lira na lata de lixo”, explica.

Em suas redes sociais, Evandro lamentou a decisão de cancelar a exposição, que ficou aberta ao público por apenas cinco dias. “Depois de 3 anos de projeto e muito trabalho, o grito não durou uma semana sequer… agradeço a todos que acreditaram e ajudaram essa expo, principalmente aos artistas!!! E vamos pra próxima!!!”, declarou ele.

O que diz a artista Marília Scarabello?

Na conta do ‘Coleção Bandeira’, a artista plástica se manifestou, afirmando como seu trabalho foi desenvolvido, critérios considerados no desenvolvimento do seu projeto e explicou que a coleção deve continuar, agora, nas redes sociais. Leia o pronunciamento na íntegra.

“Alguns seguidores questionaram a falta de curadoria deste perfil que é, antes de tudo, um trabalho de arte. Diante disso, vimos aqui expor algumas considerações:
Ainda que a coleção seja um trabalho de arte, ele possui sim uma curadoria, que neste caso se aplica como uma metodologia de construção do trabalho.
Essa metodologia inclui recolher/receber todas as imagens da bandeira do Brasil manipuladas e postar, procurando dar sempre os devidos créditos, sem distinção. Essa é a escolha de um trabalho que está interessado em construir um panorama, uma colcha de retalhos composto por este uso diverso, por essas frentes discursivas múltiplas que atravessam o país.
Portanto, em um momento de tensão política, a coleção seguirá postando imagens enviadas por todes. E todes é todes.
E fica a pergunta enviada por um seguidor, para nossa reflexão: A bandeira é nossa! Nossa de quem?”

O trabalho ser tratado como anti-Lira ou anti-Damares não representa a  realidade', diz curadora de mostra censurada em Brasília
(Reprodução, Élcio Miazaki)

Caixa se pronunciou

A Caixa também se manifestou sobre o assunto em uma nota enviada para a imprensa. Leia na íntegra:

“A CAIXA informa que a exposição “O grito!” foi selecionada no âmbito do Programa de Ocupação dos espaços da CAIXA Cultural 2023/2024, modelo de seleção pública para projetos culturais que são patrocinados para ocupação dos espaços do banco.
A obra “Bandeiras” compõe a exposição e apresenta uma coleção de imagens do público em geral recebidas pela artista Marília Scarabello, desde 2016, com releituras da bandeira brasileira que retratam os mais diversos imaginários acerca do Brasil, com variadas manifestações de pensamento.
Considerando que foi identificada na obra em questão manifestação com viés político-partidário, o que fere as diretrizes do programa, a CAIXA decidiu cancelar a referida exposição. A direção do banco informa ainda que determinou apuração de responsabilidades pelos órgãos internos”.

Veja as imagens que causaram a censura da exposição:

Saiba Mais