Funk mandelão, casacos, óculos e coletes “no estilo paulista”, a umbrella (como chamam quem leva e com o guarda-chuva), o DJ “estourado” com suas músicas e passinhos, além de muitos fogos. A madrugada de domingo demonstrou o quanto o estilo musical vem crescendo em Campo Grande e fez cerca de 8 mil pessoas ficarem horas curtindo paredão de som e fazendo “ombrinho”.

A atendente Jake Rodrigues, de 19 anos, disse que sempre vai em bailes funk e, desta vez, “atravessou” a cidade, pois, foi do Jardim Noroeste até o local do evento “Caveirão + Misturadinho”, Jardim Seminário. “Quando é muito longe dificulta um pouco, porque a gente precisa ficar pedindo com antecedência, mas, é muito legal. Hoje tô vendo aqui o pessoal no estilo paulista, um monte de guri vestido assim. Eu e minhas amigas curtimos bastante”, disse.

Jake e as amigas. Foto: Graziela Rezende/Jornal Midiamax
Jake e as amigas. Foto: Graziela Rezende/Jornal Midiamax

Nos bastidores, onde o evento tem um espécie de camarim, as amigas Amanda Oliveira, de 22 anos, Gabrielly Melo, de 20 anos, além da Ana Júlia, de 21 anos, comentam que, desta vez, o motivo especial foi o DJ Arana.

“Ele está com músicas muito estouradas e isso atrai bastante os jovens”, comentaram.

Um dos organizadores do evento, Jean Paçoka, ressalta que o funk cresceu muito na última década, principalmente em Mato Grosso do Sul. “O funk cresceu muito aqui. Estou no mercado há 16 anos e, no início, sofri muito, apanhei mesmo. Lembro que tinha muito preconceito, principalmente por estarmos em uma cidade sertaneja, mas, não deixamos de investir”, argumentou.

Segundo Paçoka, neste período, o público foi se educando e hoje os eventos contam com segurança, brigadista, socorristas e ambulância à disposição. “Posso dizer que passamos por muita coisa para sermos a força que é hoje no estado. Temos aqui cerca de 8 mil pessoas presentes e 150 funcionários envolvidos. Só de fogos, para se ter uma ideia, foi um investimento de R$ 20 mil”, disse.

Amigas no camarim do Caveirão. Foto: Graziela Rezende/Jornal Midiamax
Amigas no camarim do Caveirão. Foto: Graziela Rezende/Jornal Midiamax

Há pouco tempo, ainda conforme Jean, a moda no funk eram os MC’s. “Hoje o mudou e a moda é o paredão e o DJ, com aqueles óculos e vestimentas que usam no funk mandela, um ritmo mais acelerado”, comentou.

Outro organizador, Samuel Costa, fala que ele e outros envolvidos ficaram duas semanas desenhando onde ficaria o palco curvado e o painel de led. “O campo-grandense está vendo o funk evoluir, com toda esta estrutura e muita qualidade”, argumentou.

Ao chegar, por volta da 1h, o DJ Arana, já conhecido em todo o país, conversou com o MidiaMAIS. Concentrado com a equipe, ele saiu do hotel por volta da 1h e chegou ao local do show. Após um tempo, recepcionou fãs, tirou fotos e ensaio dancinhas. “Para o show de hoje vai ter muito ombrinho deslocado, muita mexicana e tudo mais que o público tem direito”, disse.

Confira como foi o evento:

Saiba Mais