O Bioparque recebeu dois novos inquilinos no tanque itinerante: Tukinha e Naína, dois filhotes amazonenses de pirararas.

Em parceria com o Pacu, os animais chegaram ainda pequenos e passaram pelo processo de quarentena até estarem prontos para serem inseridos no circuito de aquários. Segundo Carla Kovalski, bióloga-chefe do Bioparque, a maior prioridade é a “saúde e bem-estar de cada espécie” já que “eles recebem os cuidados da nossa equipe de manejo o tempo todo”, o que reforça a importância do animal estar preparado para mudar de casa.

E não só eles, mas, segundo a equipe do aquário, até a nova moradia dos filhotes precisou ser adaptada para que eles se sintam à vontade e possam se desenvolver corretamente. Para melhor acomodação da dupla, um tronco de árvore foi inserido no tanque. “As pirararas gostam muito de se esconder e são animais com hábito mais noturno. Precisamos dar a elas a opção de esconderijo, caso não queiram ficar expostas durante o dia”, explica Carla.

Inquilinos antigos do tanque

Agora que o tanque itinerante recebeu novos moradores, os antigos inquilinos foram remanejados para um novo endereço. As arraias bebês, frutos de uma reprodução no Bioparque Pantanal, cresceram e já precisavam de um lugar maior para se desenvolverem de maneira adequada. Agora, quem quiser ver as pequenas, precisará ir ao tanque Neotrópico, o famoso túnel.

“Seguimos o conceito moderno de aquários e zoológicos, onde a , o trabalho de conservação de espécies e o bem-estar dos nossos animais são prioridades. Os intercâmbios técnico-científicos realizados por meio do nosso Núcleo de Pesquisa e Tecnologias (NUPTEC), aliado ao trabalho de excelência desenvolvido pelos pesquisadores da nossa equipe de manejo, solidifica o Bioparque Pantanal como um empreendimento turis-científico, de experiência e conhecimento para todos”.

Saiba Mais