Lavar louça ao vivo na Globo? Coisas que só Jô Soares poderia fazer. O falecimento do apresentador, escritor e , na madrugada desta sexta-feira (5), aos 84 anos, em São Paulo, está trazendo à tona muitas lembranças de quem teve a honra de participar do programa. O MidiaMAIS selecionou algumas personalidades sul-mato-grossenses já entrevistadas por ele.

O também apresentador, Jota Abussafi, que possui um programa no SBT local, de nome Jota & Amigos, foi uma das pessoas convidadas por Jô Soares, no ano de 2006.

“Foi uma conversa incrível que eu tive com ele. Um homem muito generoso, agradável, bateu aquele tremedeira de estar de frente para o Jô Soares. A produção me disse que eu era o primeiro entrevistado. São dois hoje, disseram na época. Se você for bem, vai fazer duas vezes o quadro e aconteceu que deu tudo certo. Fiz os dois quadros e inclusive lavei louça ao vivo”, relembrou Jota.

Ao contar parte da trajetória como lavador de louças (dishwasher) nos Estados Unidos, Jota diz que Jô brincou e pediu a ele para lavar louças, além de dar a ele a oportunidade de mostrar o livro Dicas do Jota.

“Naquela época, fui personagem da novela América, da Glória Perez, recebendo o convite para o programa. Teve mais sul-mato-grossenses entrevistados por ele e ele sempre muito generoso e bacana”, relembrou Abussafi.

Veja a entrevista:

‘Uma pessoa sensacional e muito inteligente', diz empresário sobre Jô Soares

Os cantores sertanejos sul-mato-grossenses Jads e Jadson também foram entrevistados por ele, no dia 27 de novembro de 2015. O empresário que gerencia a carreira deles, conhecido como Ninho, de 41 anos, diz que foi até o programa e o observou como “uma pessoa sensacional e muito inteligente”.

“Além de apresentador, ele era músico, ator e um humorista raiz. Foi, sem sombra de dúvidas, um dos melhores programas que tive a honra de levar um artista nosso. A gente que vive do entretenimento via nele um cara que lutava pela arte, um cara completo”, ressaltou.

Em 1990, também participou do programa Onze e Meia, do Jô Soares, no SBT. Na época, o apresentador o anunciou dizendo: “Ele é um cantor, exímio violonista caipira, que virou ótimo ator e sex symbol”.

Em cerca de 30 minutos de conversa, eles falaram sobre o nascimento do cantor, que foi em Campo Grande, além do gênero musical sertanejo, paixão pelo Pantanal, entre outros assuntos.

Reveja este momento:

Ex-mulher confirmou morte do apresentador

morte do humorista foi confirmada por sua ex-mulher, Flávia Pedra Soares, em suas redes sociais. Até o momento, o local do funeral ainda não foi divulgado. Jô Soares estava internado no Hospital Sírio Libanês, e a causa da morte não foi divulgada.

“A vida de um cara apaixonado pelo país aonde nasceu e escolheu viver, para tentar transformar, através do riso, em um lugar melhor”, postou Flávia. Além dela, amigos também lamentam a morte do humorista.

A carreira de Jô Soares

(Divulgação)

José Eugênio Soares, Jô Soares, era filho do empresário paraibano Orlando Heitor Soares e de Mercedes Leal Soares. O humorista nasceu em 16 de janeiro de 1938 no Rio de Janeiro. Aos 12 anos, mudou-se com a família para a Europa, onde pensou em seguir a carreira diplomática, mas seu amor pela arte falou mais alto.

Foi humorista, apresentador de televisão, escritor, diretor e ator. Seu primeiro papel foi em “O Homem do Sputnik”, de Carlos manga de 1958.

Três anos mais tarde, começou a trabalhar na TV Record, onde atuou em programas como “La Reuve Chic”, “Jô Show” e “A Família Trapo”, além de escrever o “Simonetti Show”.

Em 1970, foi para a TV Globo estrelar o “Faça Humor, Não Faça a Guerra”, programa substituído pelo Satiricom em 1973. Três anos depois, como ator e redator, participou de “Planeta dos Homens” até 1981, quando começou a se dedicar ao próprio programa, “Viva o Gordo”.

No programa ‘Viva o Gordo' teve vários personagens marcantes como: Reizinho, Capitão Gay e Zé da Galera. Já em 1987, Jô trocou a Globo pelo SBT para apresentar um programa de entrevistas.

O “Jô Soares Onze e Meia” foi ao ar entre 1988 e 1999, com mais de seis mil entrevistas com grandes personalidades brasileiras e internacionais. Em 2000, o humorista retornou à Globo para o icônico “Programa do Jô”, encerrado em 2016.