Encontrar uma sucuri é sempre um evento em Mato Grosso do Sul, especialmente se o encontro for num cenário deslumbrante, como as águas cristalinas de . O guia Nevoton Becker, de 37 anos, passou por essa experiência no último domingo, dia 28 de agosto.

Por volta das 9h30, na descida do Rio Sucuri, a 17 km cidade turística, Nevoton acompanhava quatro em um passeio, quando todos deram de frente com a cobra de barriga cheia: “Ela estava terminando de engolir um animal”, conta o guia ao Jornal Midiamax.

Ele então filmou tudo e jogou nas o encontro com a serpente. O vídeo repercutiu e, nos comentários, sul-mato-grossenses relataram medo.

“Ai que momento de terror”, disparou uma moradora. “Fui em e nadei do lado de uma sucuri”, contou outra. “Acho que eu caía pra trás”, opinou uma terceira. “Tive três tipos de arrepios diferentes vendo esse vídeo”, exclamou mais uma internauta.

Assista:

Medo e admiração

A trilha sonora usada no vídeo acabou sendo um detalhe que chamou atenção e ajudou a causar o “terror” em quem assiste, fazendo muitos se dividirem entre a “beleza” em ver o animal e o pavor da serpente. “Será que foi só eu que achei a música sinistra?”, opinou um morador. “Pra que essa trilha?” indagou outro.

“Enquanto tem um monte de gente achando um absurdo e dizendo que não vai mais a Bonito, cenas como essa fazem com que a cidade atraia mais pessoas realmente interessadas num ecoturismo de verdade, e com respeito mútuo entre o ser humano e a natureza (como qualquer modelo de ecoturismo devia ser). Parabéns pela iniciativa e pelo trabalho de conscientização. O verdadeiro perfil de turista que Bonito realmente merece fica encantado com isso. Já estive aí mas infelizmente não tive a sorte de me encontrar com uma. Com certeza vou voltar, e espero na próxima vez conseguir esse encontro!”, disparou uma seguidora saindo em defesa do avistamento de sucuris e rechaçando a ideia de medo.

“Sucuri nem ligou para nossa presença”

Nevoton, o guia que fez o registro, relatou ao MidiaMAIS que a cobra filmada, provavelmente, estava digerindo um cateto. “Pelo tamanho e por estar aparecendo por ali também no sábado”, conta o profissional que atua na região há quatro anos e meio.

“Foi incrível encontrar o animal, ainda mais daquele tamanho (aproximadamente 4 a 5 metros) e bem na hora de sua alimentação. Não é comum encontrá-los e muito menos perigoso, tanto que 4 visitantes do meu grupo passaram bem ao lado dela e eu pude parar com meu barco com outros 3 integrantes a menos de 2 metros de distância do animal, que nem ligou para nossa presença”, relembra o guia turístico.

Nevoton Becker finaliza a conversa com o MidiaMAIS dizendo: “Uma cena de rara beleza que deixou meus visitantes encantados”.

Fale com o WhatsApp do MidiaMAIS!

Tem algo legal para compartilhar com a gente? Fale direto com os jornalistas do MidiaMAIS através do WhatsApp.

Mergulhe no universo do entretenimento e da cultura participando do nosso grupo no Facebook: um lugar aberto ao bate-papo, troca de informação, sugestões, enquetes e muito mais. Você também pode acompanhar nossas atualizações no Instagram e no Tiktok.