A Jaú Maria Fernanda vai ter a companhia do pintado Adriano, um gigante de 1,3 m e popular na fauna sul-mato-grossense, qu agora habita o Bioparque Pantanal, em Campo Grande.

O tanque Rios Grandes recebeu, além de Adriano, que pesa 30 kg, outro pintado, duas cacharas e um dourado de 80 centímetros. Adriano foi batizado em homenagem a seu doador.

Conhecido como tanque dos gigantes, o espaço já se destacava pela presença de três pirarucus, animal que pode atingir os 3 metros e pesar entre 100 e 200 quilos; a jaú Maria Fernanda, com mais de 20 quilos, e um pintado.

Conheça os novos gigantes:

De acordo com o biólogo e curador do Bioparque, Heriberto Gimenez Júnior, as espécies desse tanque têm comportamento territorialista, ficaram em quarentena por um período e foram soltos na nova morada respeitando o tamanho de cada um, primeiro os maiores.

Ainda segundo o profissional, o ponto turístico já está com 90% da capacidade total de peixes. “Acreditamos que até o final deste ano, chegaremos em 100%”, explicou.

O habitat dos gigantes no Bioparque representa rios profundos e mais volumosos com uma variedade de ambientes capazes de abrigar espécies de grande porte.

Maria Fernanda

De nome científico Zungaro jahu, o peixe é considerado um dos maiores predadores dos rios. A Maria Fernanda, que foi coletada no dia 27 de janeiro deste ano, pelo Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul).

O peixe fêmea, de cerca de 10 anos, é mais uma das “batizadas”, porém com um detalhe peculiar: o nome é o mesmo da diretora do maior complexo de água doce do mundo, em Campo Grande.

Conforme a administração do parque, ela tem 25 quilos e pouco mais de um metro. Esta espécie, no entanto, pode viver ao menos 50 anos e chegar a 100 quilos. Veja:

Conheça alguns moradores do tanque Rios Grandes, no Bioparque Pantanal

Pintado: Peixe de couro, costuma ter o corpo revestido de manchas pretas arredondadas.

Cachara: Muitas vezes confundida com o pintado, a cachara possuí manchas irregulares pretas na vertical.

Dourado: Conhecido como o “Rei do Rio”, costuma estar no topo da cadeia alimentar de seu habitat natural.

Jaú: é o maior peixe de couro do Pantanal, podendo chegar a pesar mais de 70 quilos. Uma espécie imponente e muito importante para o turismo local.