MidiaMAIS

Com Wikipédia a um clique, quem ficaria com uma coleção de enciclopédias físicas?

Coleção da Enciclopédia Barsa foi colocada para doação e já ganhou novo dono em Campo Grande

Nathália Rabelo Publicado em 02/01/2022, às 09h30

As enciclopédias pertenciam a Aureliano Sousa, mas ele doou parte da coleção para novo dono
As enciclopédias pertenciam a Aureliano Sousa, mas ele doou parte da coleção para novo dono - (Foto: Arquivo Pessoal)

Com o Wikipedia a um clique, qual seria a pessoa que iria atrás de enciclopédias físicas? Recentemente, em Campo Grande, um casal colocou uma coleção inteira da Enciclopédia Barsa para doação no portal da OLX. O que muitos duvidavam logo se concretizou e os livros ganharam um novo destino. Para desvendar esse mistério, o Jornal Midiamax foi atrás de respostas.

Primeiro de tudo, vale ressaltar que as enciclopédias pertenciam a Aureliano Sousa da Silva, 36 anos, presidente de Comissão Disciplinar da Corregedoria da GCM. Ele adquiriu as raras obras como doação de parentes da antiga patroa da sua tia avó, conhecida como senhora Olivia Enciso. Na época, o sobrinho de Olivia, o Sr. Paulo Enciso, faleceu e os livros foram parar nas mãos de Aureliano. 

Apesar de ter encontrado um novo dono, o homem afirma que a despedida não foi fácil. “Ainda não aceitei bem a ideia de desfazer deles [livros], mas minha casa é pequena, precisamos de espaço. Ainda sim vou desfazer de apenas alguns, ficarei com maior parte”, contou. 

Ao todo, são três conjuntos da Enciclopédia Barsa, um da Larousse, um conjunto de livros de economistas e filósofos da Editora Abril, um conjunto de almanaques de anos variados sobre eventos no mundo e conjunto também de líderes de relevância da história. Toda essa riqueza de informação foi usada nas suas pesquisas acadêmicas na época em que estava na faculdade. 

“Gosto muito de folhear páginas ao invés de copiar e colar da internet, é uma experiência diria até terapêutica [...] Creio que todos que apreciam leitura entendem bem o que quero dizer, as tecnologias dos nossos tempos não tira o valor de uma boa leitura tradicional”, disse Aureliano. 

O novo dono

Apesar do grande volume de livros, Aureliano afirma não saber o preço do conjunto de enciclopédias, mas que o valor excede a quantia em dinheiro por estar atrelada à história de vida do último proprietário. Foi pensando nisso, então, que ele escolheu bem para quem iria doar os livros. 

“Queria passar para alguém que de fato fosse cuidar. Considero livros raros também, mas não tem preço. Eu recebi de graça e resolvi passar de graça também, mas seria importante que fosse para alguém que entenda o valor de um livro e sua história”, contou.

O novo dono é o Hiago Burman. Apaixonado por livros, ele se interessou na coleção de enciclopédias para dar um novo passo em sua vida profissional. 

“O rapaz que passei as enciclopédias e livros  demonstrou o mesmo apreço, ele é advogado, está montando seu escritório, trabalha com muita leitura e consulta, precisa de referências de várias áreas de conhecimento, então creio que será muito cuidadoso”, disse Aureliano. Dessa forma, é certo que as enciclopédias ganharam um bom lar e vão preservar os grandes conhecimentos da civilização nas suas antigas páginas.

Jornal Midiamax