MidiaMAIS

Reações, importância e calendário: no Dia da Imunização, médica esclarece mitos sobre vacinas

Mais que proteger a si próprio, a vacinação contra várias doenças, incluindo aa covid-19, ajuda a controlar os vírus e bactérias

Carlos Yukio Publicado em 09/06/2021, às 14h05

(Ilustrativa)
(Ilustrativa)

Talvez nunca tenhamos ouvido falar tanto em vacinas como nos últimos meses. Isso porque países do mundo todo correm para imunizar a população contra a Covid-19. Mas, mais do que proteger a si próprio, quando somos vacinados também ajudamos a controlar e até mesmo a erradicar muitas doenças causadas por vírus e bactérias. Além disso, a imunização em massa impede que milhões de mortes aconteçam todos os anos.

Tamanha a importância das vacinas que esta quarta-feira, 9 de Junho, é marcada como o Dia da Imunização. O Dia Nacional da Imunização foi criado no Brasil para chamar atenção da sociedade para a importância da vacinação. Esta é uma eficaz maneira de combater doenças que acometem diversos públicos, como caxumba, tétano, sarampo, gripe, entre outras.

No Brasil, existe um Calendário Nacional de Vacinações, que foi instituído através do Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde. A ideia é manter um leque de vacinas anualmente para proteger pessoas de todas as idades. São ofertados gratuitamente mais de 40 diferentes imunobiológicos para a população.

Mesmo agora, diante de uma pandemia de Covid-19, não podemos deixar de lado outras patologias que ameaçam a saúde. Segundo a Sociedade Brasileira de Imunização, o Brasil tem registrado índices insatisfatórios de cobertura vacinal para algumas enfermidades, como a poliomielite. Dados da entidade apontam que, antes mesmo do Covid-19, a cobertura vacinal para a poliomielite estava em 80%, sendo que o ideal é 95%.

Para esclarecer as principais dúvidas sobre o assunto, convidamos a médica imunologista da Unimed Campo Grande, Dra. Maria das Graças de Melo Teixeira Spengler para esclarecer o que é mito ou verdade. Confira:

1- As vacinas são extremamente importantes.

VERDADE. As vacinas estimulam a produção de nossas defesas por meio de anticorpos específicos. Assim, elas ensinam o nosso organismo a se defender de forma eficaz e quando o ataque de verdade acontece a defesa é reativada por meio da memória do sistema imunológico. É isso que vai fazer com que a ação “inimiga” seja muito limitada ou, como acontece na maioria das vezes, totalmente eliminada antes que a doença seja instada.

2- Somente as crianças precisam seguir o Calendário Nacional de Vacinação.

MITO. A maioria das vacinas são iniciadas na infância seguindo o Calendário Nacional de Imunizações, porém, há algumas específicas para outras faixas etárias como adolescentes, adultos, gestantes, idosos e para situações especiais, como a atual pandemia da Covid-19.

3- Em grande escala, a vacinação evita a morte de muitas pessoas.

VERDADE. A Organização Mundial de Saúde estima que de 2 a 3 milhões de mortes a cada ano sejam evitadas pela vacinação.

4- É normal ter reações após ser vacinado.

VERDADE.Algumas vacinas podem provocar eventos adversos com certa frequência, mas geralmente são leves ou moderados, como dor no local da aplicação, mal-estar, cefaleia, fadiga, febre, calafrios, náuseas e dores nas articulações. As reações mais graves são raríssimas

5- Vacinas causam doenças.

MITO.As vacinas passam por testes rigorosos antes de chegarem até nós. As atenuadas contêm agentes infecciosos vivos, mas extremamente enfraquecidos. Já as inativadas usam agentes mortos, alterados, ou apenas partículas deles. Todos são chamados de antígenos e têm a função de reduzir ao máximo o risco de infecção ao estimular o sistema imune a produzir anticorpos, de forma semelhante ao que acontece quando somos expostos aos vírus e bactérias, porém, sem causar doença.

6- Existem outras formas de prevenir uma doença, não sendo necessário ser imunizado.

MITO. Um estilo de vida saudável e hábitos básicos de higiene são vitais. Mas não substituem a vacinação.

7- Quem é saudável não precisa ser imunizado.

MITO.O imunizante serve justamente para que as pessoas continuem saudáveis e livres de infecções mais pesadas.

8- A vacina contra a Influenza, que está em andamento, previne também a Covid-19.

MITO. As duas vacinas têm finalidades diferentes. É necessário ser imunizado anualmente contra a Influenza e para receber a vacina contra a Covid-19 é preciso dar um intervalo de, no mínimo, 14 dias.

Atente-se!

Para receber as vacinas previstas no Calendário Nacional de Vacinação, basta procurar o posto de saúde mais próximo, munido de documento oficial com foto, cartão do SUS e sua carteira de vacinação.

Já para ser imunizado contra a Covid-19, cada cidade está seguindo uma estratégia, sendo importante estar atento às informações divulgadas quanto às datas e públicos. Em Campo Grane, o controle é feito diariamente pela SESAU (Secretaria Municipal de Saúde).

Nesse momento de pandemia é imprescindível continuar com todas as medidas de biossegurança, como evitar aglomerações, manter o distanciamento social (1,5m), a higienização frequente das mãos com água e sabão ou álcool em gel 70%, além do uso constante de máscaras sempre que sair de casa.

Jornal Midiamax