MidiaMAIS

Poderia ser meu filho, diz policial que pagou lanche para criança na rua em Campo Grande

Militar recorda que encontrou o garotinho "tristinho, sujinho e com o chinelinho todo rasgado"

João Ramos e Danielle Errobidarte Publicado em 26/11/2021, às 10h29

Cena aconteceu nesta quinta-feira (25) em Campo Grande
Cena aconteceu nesta quinta-feira (25) em Campo Grande - (Foto: Arquivo Pessoal)

Recém-chegado em Campo Grande e vindo da cidade de Miranda com a família, o policial militar Sargento Moisés Ferreira teve uma atitude que viralizou nas redes sociais nesta sexta-feira (26). Ele pagou um salgado para um menininho vendedor de balas nas ruas da Capital de MS. Em entrevista ao Jornal Midiamax, o sargento relatou que se comoveu ao ver a criança e pensou que poderia ser seu filho.

Tudo aconteceu nesta quinta-feira (25) em Campo Grande. "Eu estava na rua 13 de maio, esquina com a Afonso Pena, tinha uma denúncia de uma casa abandonada bem ali perto. Aí eu dei uma geral nessa casa, mas não tinha ninguém. Saí, vi uma senhora sentada e o menino do lado. A senhora estava com esses papéis pedindo dinheiro, aí eu conversei com ela e ela disse que veio de São Paulo, está há pouco tempo na cidade. Então, eu perguntei 'esse menino é seu filho?', e ela respondeu que sim.

Moisés não se lembra do nome do menininho, mas recorda que observou o garoto cabisbaixo. "Vi que ele estava tristinho, eu tenho uma filha de 4 anos e um guri de 14, e ele tava sujinho assim, sabe, com o chinelinho dele todo rasgado. Falei, 'caramba, podia ser meu filho e minha filha numa situação dessa'", conta o militar ao MidiaMAIS.

"Falei pra ele: 'ô cara, você quer um lanche? Ele abriu um olhão assim pra mim e eu disse 'vamos ali que eu vou comprar um lanche pra você'. O Sargento mandou o menino escolher um salgado e o garotinho, feliz, aproveitou: 'quero esse aqui, bem grandão', disse. "Você quer um refrigerante?", ofereceu Moisés. "Eu quero. Quero uma coca", pediu o pequeno vendedor de balas.

"Eu fico doido"

O policial disse à reportagem que ia dar um dinheiro como ajuda para a mãe do garoto, mas só estava com cartões na carteira. "Ele saiu correndo feliz e foi lá com a mãe dele", descreveu. Em seguida, o Copom (Centro de Operações Policiais Militares) chamou e Moisés entrou na viatura, sem perceber que havia alguém olhando e até mesmo fotografando tudo.

Moradora de Campo Grande que passava pelo Centro da cidade se deparou com a cena e teve seu coração tocado pelo gesto do Sargento. Ela tirou uma foto da ação e publicou no grupo "Aonde ir em Campo Grande". "O menino estava vendendo balas na rua, o policial desceu da viatura e levou ele pra comprar, talvez, a única refeição dele de hoje", explicou a moça, na legenda da foto.

Nos comentários da publicação, campo-grandenses que participam do grupo aplaudiram Moisés. "Parabéns pela sua atitude. Por mais pessoas como você nesse mundo! Levou o pequeno e pediu para escolher o que queria comer", declarou Thaynara.

Morando na Vila Silvia Regina, o policial veio da cidade de Miranda com a esposa e os dois filhos há três meses. "Lá você quase não vê isso, é outra realidade. Quando tem um menor de idade na rua, o Ministério Público já pega e dá um jeito. Agora, aqui, rapaz, é muita criança que você vê na rua. Eu fico doido", pontuou.

Recado

Moisés frisa que: "Toda vez que uma pessoa ver uma criança, ver que é um menor, em situação de vulnerabilidade pelas ruas, ou que ver pedindo algo, aciona o 190, a Guarda Municipal, algum órgão competente, porque a gente dá o encaminhamento, chama o Conselho Tutelar, vemos quem são os pais", pontua.

"Temos que tirar essas crianças da rua, porque, assim, você acaba evitando que amanhã essa criança seja uma usuária de drogas, um delinquente. Mesmo que a pessoa não possa ajudar, ligando no 190 e informando o local em que a criança está e as características, já vai colaborar muito", finaliza, orientando.

Jornal Midiamax