MidiaMAIS

“Fica registrado o meu repúdio a agressão a arte”, diz escultor de estátua de Manoel de Barros após vandalismo

Estátua de Manoel de Barros teve um dos pés amputado e furtado em Campo Grande

Nathália Rabelo Publicado em 01/05/2021, às 17h04

Estátua está com o pé serrado
Estátua está com o pé serrado - (Foto: Marcos Ermínio/Midiamax)

O escultor responsável pela estátua de Manoel de Barros fez um desabafo em sua conta oficial do Facebook na última quinta-feira (28). No #tbt, Ique Woitschach recorda o ato de vandalismo que sua obra sofreu e lamenta o ocorrido. Em abril, a escultura de Manoel de Barros amanheceu sem um dos pés em Campo Grande.

“Fica registrado o meu repúdio a agressão a arte, ao poeta Manoel de Barros, e ao desrespeito com o patrimônio público, cultural e histórico. Viva a arte, a cultura e a história do nosso país, que muito contribuem com o desenvolvimento de uma sociedade livre, madura e sadia”, ironizou o artista.

Ique compartilhou na rede social um vídeo de quando estava confeccionando a arte pela primeira vez e afirma que precisará fazer todo processo novamente.

“Esse é o trabalho que terá que ser refeito. Todo o trabalho de modelagem, cera, retoques, e em seguida a fundição em bronze, uma vez que o pé amputado não foi recuperado”, escreveu.

Relembre o caso

Emblemática no centro de Campo Grande, a estátua do poeta Manoel de Barros amanheceu depredada no dia 19 de abril, em uma segunda-feira. Vândalos arrancaram um dos pés da figura que fica localizada entre a Avenida Afonso Pena e a Rua Rui Barbosa.

"E eles vão continuar, vão levar o outro pé agora, e ninguém vai fazer nada. A arte não tem a menor importância e valor em MS. Isso é patrimônio público e deveria ter esquema de vigilância permanente para evitar isso", desabafou o escultor ao Jornal Midiamax na época.

Jornal Midiamax