MidiaMAIS

De Campo Grande, Cleir vai para o Paraná criar 13 esculturas sobre fauna regional

Arapongas (PR) será cidade com maior acervo de obras do sul-mato-grossense

Nathália Rabelo Publicado em 27/05/2021, às 18h30

Esboço de escultura que Cleir desenhou
Esboço de escultura que Cleir desenhou - Foto: Divulgação

Conhecido por seu talento e amor pela fauna do cerrado, o artista plástico Cleir levará sua criatividade ao estado do Paraná, onde iniciará um novo projeto no mês de junho. Natural de Campo Grande, ele foi convidado pelo prefeito Sérgio Onofre, de Arapongas (PR), para fazer 13 esculturas de pássaros característicos da região, mais conhecida como ‘Cidade das Aves’.

Essas esculturas serão disponibilizadas em pontos características do município, que contém cerca de 124 mil habitantes.

“O convite foi uma grata surpresa e exigiu muito estudo. Desenhei os pássaros à mão e agora estou animado para iniciar mais este desafio”, destaca o artista plástico. Arapongas também será a cidade com maior acervo de suas obras no Brasil. Além dos emblemáticos painéis que enfeitam a paisagem urbana, Campo Grande conta com 8 esculturas do artista.

[Colocar ALT]
Esboço de escultura que Cleir desenhou (Foto: Divulgaçaõ)

“O maior número de esculturas em uma única cidade será em Arapongas, o que me deixa muito feliz pela confiança no trabalho”, comentou ele. Agora, Cleir será responsável por representar uma espécie de passado em cada escultura, que será colocada em uma rua diferente da cidade.

Além disso, o projeto vai começar em junho e tem previsão de término em fevereiro de 2022.

Referências de Mato Grosso do Sul

Com décadas de carreira em Mato Grosso do Sul, Cleir já realizou obras, esculturas e painéis em Campo Grande, Bonito, Corumbá, Dourados, Três Lagoas, Ponta Porã, Rio Verde de Mato Grosso, Bodoquena, Aquidauana, Ladário e Bataguassu.

Sua arte se destaca por sempre valorizar a fauna regional, por isso ele pretende mesclar um pouco dessa marca em novo trabalho: o seu amor por Mato Grosso do Sul no estado vizinho.

“É impossível não ter alguma característica do que já foi feito por aqui. Lá é um projeto novo, diferente, mas sempre tem algum traço, alguma marca que já é do artista. Para executar esse trabalho, pesquisei as espécies no Museu Dom Bosco, em Campo Grande e agradeço muito a direção pela colaboração. Agora, é passar os próximos meses na nova cidade e na volta, espero executar mais projetos na minha terra”, revelou Cleir.

Artista Cleir assinando painel em Campo Grande (Foto: Divulgação)

Jornal Midiamax