MidiaMAIS

Crianças e pets: dá certo? Associação lista 7 benefícios para estimular o convívio entre eles

Estatísticas mostram que as crianças que têm cães aprendem a falar mais rápido do que as que não têm

João Ramos Publicado em 05/06/2021, às 07h56

O convívio estimula a sociabilidade, colabora com o desenvolvimento cognitivo e ajuda no equilíbrio
O convívio estimula a sociabilidade, colabora com o desenvolvimento cognitivo e ajuda no equilíbrio - (Reprodução)

Quando uma criança ganha um pet, ganha um companheiro. Eles animam o ambiente, fazem companhia, ajudam a diminuir a ansiedade e estimulam o desenvolvimento emocional e intelectual dos pequenos.

Estatísticas mostram que as crianças que têm cães aprendem a falar mais rápido do que as que não têm. Muitas vezes o nome do animal é a primeira palavra que se aprende a dizer. O convívio estimula a sociabilidade, colabora com o desenvolvimento cognitivo e ajuda no equilíbrio, pois o pet estimula seu pequeno dono a correr pela casa.

Há diversos estudos que comprovam que ao acariciar um cachorro o corpo produz endorfinas, e isso reduz a ansiedade. Ok, cuidar de uma criança e de um pet pode ser um desafio e tanto, mas se colocarmos na balança as vantagens do convívio, os benefícios da convivência superam o receio da bagunça.

A Associação de proteção animal Patas Para Você selecionou 7 boas razões para estimular essa convivência:

1) Aumenta a auto-estima

É comum notar o aumento da afetividade das crianças que convivem com cães. Justamente porque os cachorros costumam ser carinhosos, esse comportamento faz com que os pequenos se tornem também mais afetivos, o que contribui para o desenvolvimento e a melhora da auto-estima. Além do mais, os cachorros aceitam as crianças como elas são. Elas jamais serão julgadas pela sua cor, temperamento ou alguma necessidade especial. É uma simples troca de amor e companhia.

2) Promove a união familiar

Com um novo habitante na casa, o pet se torna responsabilidade de todos os membros da família. Dividem-se tarefas e cuidados com os cães ou gatos e as crianças adoram participar. Assim, se constrói um ambiente colaborativo e se fortalece a união familiar. O fato de ter que alimentar o cão, cuidar dele, faz com que eles também cresçam sendo mais responsáveis.

3) Combate o sedentarismo

Tem que correr! Levar o cachorro para passear, ou sair procurando o gato pela casa, significa gastar energia e fazer com que a criança tenha uma vida menos sedentária. Mesmo que demandem apenas alguns minutos do dia, essas atividades contribuem para o bom desenvolvimento muscular e reduzem o risco de obesidade infantil.

4) Fortalece a imunidade

Um estudo realizado pelo Hospital Universitário Kuopio, na Finlândia, avaliou 397 crianças nascidas no hospital entre setembro de 2002 e maio de 2005 durante seus primeiros anos de vida. Durante a pesquisa, foi constatado que as crianças que tinham contato com cães desde cedo apresentavam menos infecções no ouvido, entupimento de nariz e tosse. Outro estudo da Universidade da Suécia, com 650 mil crianças, apontou que as que convivem com cachorros em casa têm menor probabilidade de desenvolver asma. É claro que, se o pequeno é alérgico, é preciso consultar um pediatra, para saber se é boa ideia adotar o animal.

5) Estimula a sociabilidade

Outro benefício apontado por especialistas é o estímulo a atitudes mais positivas e a interação com as pessoas no dia a dia. Os pets, em geral, ajudam a desenvolver a solidariedade e prepara a criança para conviver com outras pessoas, especialmente no ambiente escolar.

6) Combate a ansiedade infantil

Uma pesquisa da Universidade da Flórida, com cerca de 100 famílias que têm cachorros, colocou alguns testes de fala e de lógica para as crianças . Elas foram escolhidas de forma aleatória para participar do estudo, na companhia de seus pais, pets ou sozinhos.

O resultado mostrou que as crianças que estavam com seus cães, no momento dos testes, comportaram-se de forma mais tranquila e apresentaram menores níveis de estresse ao responder às questões. A convivência faz ainda com que elas aproveitem mais o momento e se sintam menos solitárias.

7) A rotina fica mais divertida

Principalmente em tempos de isolamento, os pets podem ajudar de forma positiva a distrair e divertir os pequenos. Ao brincar com um cachorro ou um gato, por exemplo, a criança passa a ficar mais tempo no quintal, no jardim, ou reunida com a família em diversos ambientes da casa. Com os brinquedos certos, é possível facilitar ainda mais esse convívio. As travessuras dos pets garantem boas risadas.

Jornal Midiamax