MidiaMAIS

Comunidades carentes recebem biscoitos arrecadados na live de Luan Santana

Nesta quarta-feira (13), o Mesa Brasil Sesc entrega, em parceria com a União BR, biscoitos arrecadados por meio de doações a comunidades carentes atendidas pelo projeto Cica e da comunidade Mandela, na região Norte de Campo Grande. Serão entregues 641 caixas de biscoitos Vitarella, arrecadados durante a live #OPantanalChama, realizada pelo cantor Luan Santana, em […]

Bruna Vasconcelos Publicado em 12/01/2021, às 15h40

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação) - (Foto: Divulgação)

Nesta quarta-feira (13), o Mesa Brasil Sesc entrega, em parceria com a União BR, biscoitos arrecadados por meio de doações a comunidades carentes atendidas pelo projeto Cica e da comunidade Mandela, na região Norte de Campo Grande. Serão entregues 641 caixas de biscoitos Vitarella, arrecadados durante a live #OPantanalChama, realizada pelo cantor Luan Santana, em novembro do ano passado.

As entregas de biscoitos ocorrerão às 8h30 na Cica, localizada na rua Nair Alves e Castro, no Rita Vieira; às 9h30 na Invasão da Homex, por meio da entidade social Maná do Céu e às famílias que estão na área verde municipal invadida localizada no Jardim Centro Oeste e às 13h30 na Favela da Mandela (Lar de Santana ), no Bairro Izabel Garden, região norte de Campo Grande.

“Juntamos forças à União BR, que é um movimente voluntário da sociedade brasileira para fortalecer o combate ao Coronavírus no país. Entendemos que este é um momento de aglutinar esforços, com a crescente do número de famílias em situação de vulnerabilidade. Essa é a missão do Mesa Brasil Sesc, que agora figura como instituição âncora do movimento União BR”, diz a diretora regional do Sesc MS, Regina Ferro.

Dados da Rede de Pesquisa Solidária – Políticas Públicas & Sociedade apontam que na crise econômico-social desencadeada no Brasil pela pandemia de COVID-19, 83,5% dos trabalhadores encontram-se em posições vulneráveis: 36,6% porque possuem vínculos de trabalho informais; 45,9% porque, embora com vínculos formais, atuam em setores bastante afetados pela dinâmica econômica. Os indivíduos com vínculos mais estáveis, em setores essenciais não afetados economicamente, somam apenas 13,8% da força de trabalho ocupada.

Jornal Midiamax