MidiaMAIS

Avenida movimentada é palco de amor tranquilo de araras em Campo Grande

Casal namoradeiro e encantador de araras-canindé virou atração no Parque dos Poderes

João Ramos e Dayene Paz Publicado em 04/08/2021, às 15h01

"Não tem quem não queira parar para tirar uma foto", relatou frequentador do local
"Não tem quem não queira parar para tirar uma foto", relatou frequentador do local - (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)

Imprevisível, a natureza encontra morada e não se inibe com a selva de pedra construída pelos homens em territórios antes propícios para o habitat animal. As aves são as mais desafiadoras, fazendo ninhos em lugares impensáveis.

Viver em tronco de árvores não é novidade quando falamos em araras. Mas, desta vez, o inusitado está na localização desse tronco: uma rua bastante movimentada da Capital sul-mato-grossense, que não assustou nem as impediu de namorarem ali.

O casal de araras-canindé está encantando moradores de Campo Grande que passam pela entrada do Parque dos Poderes, na avenida Desembargador Leão Neto do Carmo, esquina com a avenida Dr. Fadel Tajher Iunes.

Beleza e desprezo das aves para com a movimentação encanta quem passa por ali (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)

Elas estão no buraco do tronco de uma palmeira e namoram sem se envergonhar, na frente dos frequentadores da região que abriga alguns órgãos federais e tem movimento constante pelo alto fluxo de trabalhadores que se deslocam até a área.

Ah, o amor...

Completamente apaixonadas, as araras chamam a atenção de vários motoristas; alguns, inclusive, acabam parando para tirar fotos com as aves.

"A gente tem que deslumbrar a natureza e as riquezas da nossa cidade. Elas são lindas e não tem como não parar para apreciar tudo isso. Elas encantam", comentou a estudante Lorena Matos, de 23 anos, em depoimento ao Jornal Midiamax.

Campo-grandenses admiram e apreciam a relação "conjugal" exposta em via pública (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)

Senhor de 49 anos, que vende salgado perto do tronco onde o casal está, declarou ao MidiaMAIS sobre a cena: “Todos os dias elas estão aqui, às vezes, fazem o ninho, depois nascem e elas vão embora. Não tem quem não queira parar para tirar uma foto, registrar o momento. É uma dádiva de Deus”, vislumbrou.

Jornal Midiamax