MidiaMAIS

Academia de Letras lança 1º hino em comemoração ao aniversário de 50 anos em MS

Durante evento na quarta-feira (10), Academia homenageou as cinco décadas de incentivo à literatura no Estado

Nathália Rabelo Publicado em 11/11/2021, às 07h00

Rubenio Marcelo e Henrique Medeiros criaram juntos o hino
Rubenio Marcelo e Henrique Medeiros criaram juntos o hino - (Foto: Leonardo de França/Midiamax)

A Academia Sul-Mato-Grossense de Letras (ASL) nasceu no dia 30 de outubro de 1971. Situada em Campo Grande, logo o espaço se tornou um marco para o intercâmbio de ideias, conhecimentos e criações que acontecem no Estado. Na noite de quarta-feira (10), integrantes e convidados celebraram o aniversário de 50 anos da ASL com um grande presente: o lançamento do primeiro hino oficial da Academia.

Intitulada “Luz das Letras”, a canção foi composta por Rubenio Marcelo, diretor de cultura, e Henrique Alberto de Medeiros Filho, presidente da instituição. Casa de grandes nomes da literatura sul-mato-grossense, como Manoel de Barros, Hildebrando Campestrini, Abílio Leite de Barros e Maria da Glória Sá Rosa, a academia comemorou a trajetória das cinco décadas de trabalho no Estado.

[Colocar ALT]
Henrique Alberto de Medeiros Filho comemora os 50 anos da Academia (Foto: Leonardo de França/Midiamax)

“As grandes cabeças pensantes da literatura, cultura e da educação, habitaram esse espaço. Esse é o grande resultado: a forma de você incentivar as pessoas, a forma de você desenvolver novos projetos, criar novas maneiras para tentar difundir a importância da leitura, a importância do conhecimento, de ter o crescimento pessoal de autocrítica como desenvolvimento social e da sociedade. A grande importância da Academia é intelectual”, afirmou o presidente da ASL, Henrique Medeiros, ao Jornal Midiamax durante o evento.

Com abertura do músico campo-grandense Marcos Assunção, a comemoração também exibiu um vídeo institucional com depoimento dos integrantes da Academia, lançamento do hino oficial “Luz das Letras” e homenagem a 15 personalidades que influenciaram o espaço ao longo do tempo.

Dessas pessoas, destaca-se a professora Reni Domingos dos Santos, figura emblemática que trabalhou por 48 anos na Escola Mace. Ela afirmou ter ficado muito grata pela homenagem por representar toda a classe educativa brasileira.

[Colocar ALT]
Professora Rei é figura lendária na educação campo-grandense (Foto: Leonardo de França/Midiamax)

“Eu me sinto muito honrada em ser homenageada pela Academia, acho que é um momento muito único e eu gostaria de dividir essa homenagem com todas as minhas amigas e colegas educadoras do mundo. Eu sei que estou representando todas e isso me deixa muito satisfeita, homenageada e feliz”, revelou Reni.

Apesar da programação, o momento mais esperado da noite, com certeza, foi o lançamento do hino oficial da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras em tributo ao cinquentenário.

Luz das Letras

“As letras realmente dão luzes, elas fazem com que as pessoas enxerguem o mundo de uma forma diferente e o mundo precisa demais disso. Precisa de literatura, poesia, o mundo precisa de mais humanismo”, é assim que Henrique Medeiros define, em poucas palavras, a magia da composição “Luz das Letras”, nova música responsável por representar a instituição.

[Colocar ALT]
Rubenio propôs melodia diferente para Hino Canção (Foto: Leonardo de França/Midiamax)

Ao lado do poeta Rubenio Marcelo, os dois integrantes tiveram a missão de criar um hino oficial para presentear a Academia no seu aniversário de 50 anos. De acordo com Rubenio, a melodia trata-se de um Hino Canção que aborda os valores históricos da instituição, inclusive sobre o significado do brasão da casa.

“Nós não tínhamos uma obra para marcar a casa, que é um símbolo. Então, veio a ideia dessa composição de um hino [...] eu dei uma musicalidade diferente, eu saí daqueles hinos militares, então fiz uma composição diferente com tonalidade mais leve, fluente e bem adaptada à voz do cantor, que é o Átila Gomes”, afirmou o poeta.

História da Academia

No dia 30 de outubro de 1971, Ulisses Serra fundou a Academia de Letras e História de Campo Grande ao lado de José Couto Vieira Pontes e Germano Barros de Sousa.

Outros intelectuais entraram para a instituição logo depois, como J. Barbosa Rodrigues, Júlio Alfredo Guimarães, Hugo Pereira do Vale e Antônio Lopes Lins.  Em 1977, o espaço passou a ser chamado de Academia Sul-Mato-Grossense de Letras com a divisão do Estado.

Já em 2011, com a presença de acadêmicos e autoridades, houve o lançamento da Pedra Fundamental da nova sede da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras, construída na Rua 14 de Julho, região do Bairro São Francisco de Campo Grande.

Com o desenvolvimento ao longo dos anos, o espaço conquistou a credibilidade e referência em cursos, aulas, eventos, encontros e iniciativas que fomentam a literatura sul-mato-grossense ao lado de grandes escritores.

Show de abertura do músico Marcos Assunção (Foto: Leonardo de França/Midiamax)

Jornal Midiamax