MidiaMAIS

Ângelo Arruda lança livro de poesias e CD autoral com Geraldo Espíndola, Chicão Castro e mais

O arquiteto e urbanista Ângelo Arruda lança em outubro duas contribuições culturais para 2020, ano circundado pela pandemia do coronavírus

Carlos Yukio Publicado em 14/10/2020, às 10h31

None
Ângelo Arruda lança livro de poesias e CD autoral com Geraldo Espíndola, Chicão Castro e mais

O arquiteto e urbanista e ex-presidente da Federação Nacional dos Arquitetos e Urbanistas e agora poeta e compositor Ângelo Arruda lança em outubro duas contribuições culturais para 2020, ano circundado pela pandemia do coronavírus, afastamento das pessoas, e da não distanciamento social. O livro “A Simplicidade do Abismo” traz uma coletânea de poesias escritas por Ângelo e o CD autoral “Régua e Compasso” mistura arte da arquitetura com a música.

O livro “Simplicidade do Abismo” é a 2ª produção literária do escritor, após “A Invenção do Silêncio”, de 2017. Segundo o autor, o livro trata do momento de cada um, de seus buracos e abismos, onde mexer é complicado. O livro com título forte, produzido em Santa Catarina pela editora Traços & Capturas, reúne 35 poemas e um adendo poético com 5 poemas de Carlos Anselmo, irmão falecido do autor.

Ângelo Arruda lança livro de poesias e CD autoral com Geraldo Espíndola, Chicão Castro e mais
(Divulgação)

“A Simplicidade Do Abismo é um trabalho autoral, mais maduro, pelo caminhar das letras no tempo e pelo flutuar do pensamento. Aqui me desdobro para encontrar as raízes da minha poética, minhas influências, recortando paisagens e lugares, objetos e instintos. Nesse livro sou eu quem me lanço no espaço para a contemplação do olhar, para o triturar dos versos entre as estrelas e para o reencontro de mim mesmo”, explica o autor.

Confira uma prévia do trabalho enviada com exclusividade ao Jornal Midiamax:

“A SIMPLICIDADE DO ABISMO

De repente, um vazio.
Logo eu que sempre tenho tanta noção do tempo.
Não há luz alguma. Nos tiraram a luz e o ar.
O ar, que ar? Falta esperança no ar.
No mesmo instante, nada para tocar nem sentir.
Somos matéria e precisamos de algo para nos sentirmos vivo.
Nunca soube como seria o abismo. Apenas uma desconfiança.
Estar ali era bem mais do que sentir uma sensação de nada, era o abismo.
Cai não sei bem como e por quanto tempo fiquei na escuridão.
Calma, pensei. Em todo lugar da Terra existe possibilidade de vida, de luz e de ar. Li isso uma vez.
Como encontrar o nada sem luz?
Depois soube que ele tinha uns 30 metros ou 30 anos, apenas, não era assim, tanto.
Sem corpo me senti, faltavam ossos em meus braços, estranho.
Depois das sensações vêm as lembranças e ali me vi num útero
Não o da minha mãe, mas um oco-útero-vida.
E fui buscar nas gavetas da memória a simplicidade daquele momento.
E assim fui percebendo que o abismo não era assim tão complicado.
Bastava cuidar da mente, acalmar os olhos, pensar com a pele, acostumar os cabelos. Mas era preciso lutar.
E assim olhei para cima e num pingo de luz eu percebi que tudo começa com luz.
Ao acordar, ao nascer, ao sair da solitária, os becos da memória. A luz é a chave de tudo.
Não estranhei meus pensamentos, apenas ganhei tempo para adormecer as pálpebras.
E sentir um estranho vento que chegava. Soprava leve.
Vindo de baixo dos meus olhos e assim, buscando o nada do nada percebi.
Que naquele lugar onde todos tem medo eu poderia encontrar as razões da simplicidade.
Nem sempre o simples está em nossa frente. O simples não é tão simples.
O abismo existe e nos desafia. O abismo encara a vida, a liberdade. Essencialmente.
O abismo não é um lugar simples, mas ele contém coisas simples. Como o nada. A falsa ideia do nada. Ou da poesia.”

O lançamento do livro “A Simplicidade do Abismo”, de Ângelo Arruda se dará no dia 21 de outubro, quarta-feira, às 19h do horário local pelo Facebook e Canal do Youtube da Editora Traços & Capturas com evento virtual.

Lançamento Musical

Em outubro, o arquiteto também lança o CD autoral Régua e Compasso, com participações de grande nomes da música brasileira e regional, como Geraldo Espíndola, Begét de Lucena, Karla Coronel, Chicão Castro, Zeh Rocha além de Gilson Espíndola e Otávio Neto. Assim como o primeiro trabalho, “Água de Viver” lançado em 2018, o CD também foi produzido por Otávio Neto e Gilson Espíndola.

“Me dei conta que fazer música e fazer arquitetura tem a mesma rotina. Tanto pra um quanto pra outro preciso de inspiração, um motivo, de uma encomenda. E passam pelo mesmo de execução. A letra é exatamente sobre esse processo criativo da arquitetura e música andando juntas. Esse segundo disco é uma continuidade profissional do primeiro, e eu quis trazer o melhor dos dois que temos aqui em Campo Grande”, reitera Ângelo Arruda.

Ângelo Arruda lança livro de poesias e CD autoral com Geraldo Espíndola, Chicão Castro e mais
(Divulgação)

O CD engloba 12 canções que você pode escutar em todas as plataformas (Spotify, Deezer, Napster, Shazam, Amazon, Tidal, Pandora, iMusic) e no canal do Youtube. Os ritmos são diversos. Blues, xote, bossa nova, samba soul, MPB e a novidade são duas músicas instrumentais.
O lançamento acontecerá dia 30 as 21 horas de Brasília e 20 horas de Mato Grosso do Sul, pelo canal do Youtube de Gilson Espíndola.

Em Campo Grande, o livro “Simplicidade do Abismo” está à venda no Instituto Amigos do Coração (67 3023-4145) e o CD “Régua e Compasso” pode ser adquirido com o Gilson Espindola (67 99209-1973). Já em Florianópolis, ou outra localidade, as aquisições do CD e do livro podem ser feitas diretamente com Ângelo Arruda pelo e-mail angelomv@uol.com.br ou pelo telefone 67 99221-8522, ou site da Editora Traços & Capturas.

Jornal Midiamax