MidiaMAIS

Vila Carvalho lança samba enredo sobre consciência negra para o Carnaval 2020

“A Consciência Não Tem Alma e Nem Cor” será o tema do samba enredo e o evento contou com apresentação do grupo Pandero e da Bateria Poderosa Mestre Wlauer

Carlos Yukio Publicado em 26/11/2019, às 08h47 - Atualizado às 13h38

None

O Grêmio Recreativo Escola de Samba Unidos da Vila Carvalho, a campeã do Carnaval 2019 em Campo Grande, lançou durante o último fim de semana, a letra e o Samba Enredo para o Carnaval 2020. “A Consciência Não Tem Alma e Nem Cor”, com composição de Luizinho Ramos e Maik Cândido, será o tema do samba enredo e o evento ocorrido no última sexta-feira (22) contou com apresentação do grupo Pandero e da Bateria Poderosa Mestre Wlauer.

Representantes das diretorias das demais escolas prestigiaram o evento, que foi aberto ao público e onde foi apresentado o novo samba enredo oficial. O Presidente de Honra da Unidos da Vila Carvalho, Zé Carlos Carvalho, explicou que “nós fazemos parte da negritude e como somos do folclore afro-brasileiro, para nós é a continuidade da comemoração do nosso jubileu dos 50 anos de existência da nossa Escola”.

Vila Carvalho lança samba enredo sobre consciência negra para o Carnaval 2020
(Divulgação)

A Consciência Negra foi o tema escolhido pela verde rosa campeã do último Carnaval em Campo Grande. Comemorado em 20 de novembro, o Dia da Consciência Negra faz alusão à morte de Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares e um dos grandes símbolos nacionais da resistência do movimento negro, morto em 1695 durante o período colonial (1500 a 1822).

A Rainha da Bateria Nota 10 deste ano (Vila Carvalho), Rebecca D’Albinie, elogiou o tema dizendo que “é importante para o momento político-social que o nosso país vive e o Carnaval arrasta multidões, então é preciso falar sobre esta causa”. Confira a letra e o samba enredo abaixo:

A Consciência Não Tem Alma e Nem Cor
Vila Carvalho 2020

Composição: Luizinho Ramos e Maik Cândido

A consciência não tem alma e nem cor
Intolerância não por favor Refrão
Eu quero respeito, igualdade e amor
Desejo do criador

La vem o navio negreiro
No balanço do mar
A lua clareia a história
Que o Griô vai contar

A luta de bravos guerreiros
A fé em seus orixás,
Chora negra escrava a felicidade foi encontrar,
Nações espalharam cultura
Sementes que o vento levou
Raízes quilombola, num canto de amor

O tambor, vai vibrar
Tem quizomba a noite inteira Refrão
Samborê, samborê
É magia e luaê

Mulheres, guerreiras
A negritude encanta o olhar,
Abre a roda vem jogar a capoeira
O sinhozinho deixa o berinbau tocar
Qual é o segredo do tempero “ia” “ia”
O povo quer provar
Mais uma dose pra comemorar
A arte negra vai emocionar

A vila carvalho, é paz e união Bis
Somos todos irmãos

Jornal Midiamax