MidiaMAIS

Com ajuda das redes sociais, ‘menina da coxinha’ vende 9 mil salgados por semana

Conheça a história de uma jovem empreendedora

Daiane Libero Publicado em 27/01/2017, às 09h00

None
2e921e95-1717-434a-9a77-8e7a91553907.jpg

Conheça a história de uma jovem empreendedora

Foi em um post entre tantos que permeiam os grupos de vendas do Facebook – alguns com mais de 100 mil pessoas conectadas – que a reportagem encontrou Gyovana Carolina Borges de Moraes, de 21 anos. Ela anunciava com fotos totalmente apetitosas os salgados de sua autoria, entre coxinhas, risoles, empadas e muitas outras delícias. Sob a marca de Menina da Coxinha, a jovem conta que chega a produzir entre 1,5 mil e 2 mil salgados de segunda a quinta-feira, e no fim de semana (sexta e sábado), esse número chega a 3 mil salgados vendidos e entregue por toda a cidade. "Começamos há 8 meses com a Menina da Coxinha e nós estamos dando o nosso melhor para atender todo mundo", relata Gyovana. 

Nesses 8 meses, conforme Gyovana conta, muitos desafios se impuseram na hora de liderar o próprio negócio de economia criativa ao lado do marido Ricardo, que também atua na linha de produção dos salgados e também realiza várias tarefas como compras e coordenação da equipe, que após poucos meses reúne um total de seis pessoas. São duas pessoas trabalhando na cozinha com eles mais dois entregadores, um freela e outro fixo. Gyovana trabalha observada por seu filho, o pequeno Gael, que, segundo ela, é a inspiração para fazer o negócio crescer. 

A questão da experiência em fazer salgados, que geralmente vem daquela "tia do salgado", está nas mãos de uma jovem de 21 anos, tão talentosa quanto. Além de atender com o delivery, a Menina da Coxinha atende com salgados a pronta entrega, que para Gyovana é um diferencial. "A maioria das pessoas trabalham com encomendas antecipadas. Já salvei clientes, uma cliente me ligou desesperada pois o Chá de Bebê da irmã estava começando e o salgado não tinha sido entregue, e nós temos aqui", conta. 

A receita de uma massa mais leve e bem saborosa, com um tempero suave, tanto para a coxinha quanto para os risóles de vários recheios – carne seca, pizza, queijo e outros -, veio da família do marido de Gyovana. "Ele tinha essa receita na família, e fazia para nosso consumo, todo mundo adorava. Nós tinhamos outro comércio que por causa de algumas dificuldades e da crise foi fechado, ficamos sem nada, foi muito ruim. Até que resolvemos fazer a porção de salgado para vender sem fritar, uma bandeja de 25 salgados que a pessoa poderia ter em casa, e no primeiro dia entregamos 700 salgados. Em cerca de 20 dias já tinha entregador", conta. 

'A menina da coxinha chegou!'

Na receita da coxinha, eles não utilizam mandioca e sim batata. Depois dos salgados fritos começaram a produzir a "empada na marmita", uma torta de frango com requeijão, bacon e azeitona, que pode até ser congelada. O nome veio de um jeito inusitado. "Eu chegava com meu marido para fazer a entrega das coxinhas e às vezes tinham crianças no local, e elas gritavam 'a menina da coxinha chegou!'", diz. Ela afirma que gostou da identificação e adotou para a marca. 

Os vizinhos e amigos foram os primeiros compradores, e muitos ajudavam nas entregas e compartilhavam do sonho do casal de abrir um ponto fixo e fazer o negócio crescer. Querendo abrir mais a venda dos salgados, Gyovana fez um post no grupo Comércio Delas, um dos mais influentes da Capital e que atualmente possui mais de 200 mil membros. Imediatamente os pedidos começaram a chegar, e Gyovana não parou mais. 

A internet e as redes sociais hoje são o principal meio de divulgação do seu produto, mas não somente isso: para ela, foi uma forma de continuar próxima da família, ter uma renda e cuidar do filho. "Foi uma oportunidade de trabalhar com a minha família. Ás vezes você tem um sonho de abrir um negócio, e se o intuito é crescer tem que começar de alguma forma. Graças aos grupos e à página do Face estamos conseguindo atender todo mundo", resume a menina da coxinha. 

A Menina da Coxinha recebe entregas e pedidos pelo telefone: (67) 9 9163-2335, das 14h às 22h. Informações pela página: https://www.facebook.com/m.dacoxinha/?fref=ts

Jornal Midiamax