MidiaMAIS

Pesquisa na história permeia obra ‘O Primeiro Vampiro’, uma literatura fantástica local

Autor é médico e passou cinco anos pesquisando informações para obra  

Daiane Libero Publicado em 22/02/2016, às 11h46

None
vampiro2.jpg

Autor é médico e passou cinco anos pesquisando informações para obra

Pesquisa na história permeia obra 'O Primeiro Vampiro', uma literatura fantástica localDentre os monstros sagrados da literatura e do cinema, o vampiro é um dos mais intrigantes, que arrebata gerações sob inúmeros formatos. Do primeiro clássico escrito no Ocidente aos vampiros da saga "Crepúsculo", a mitologia vampírica já foi construída e reconstruída inúmeras vezes. E isso intrigava o médico e escritor Ewerton Carvalho. "Eu sou fã de vampiros desde a infância. Essa sensação de medo eletrizante atrai todo mundo. Por isso comecei a pesquisar sobre o assunto e comecei a observar como o vampiro é multicultural", enfatiza. 

O resultado de cinco anos de pesquisa é o livro "O Primeiro Vampiro", escrito por ele e lançado no ano passado. Neste sábado (20), o projeto Vórtice Fantástico, formado por fãs de ficção científica e literatura fantástica na Capital, se reuniu justamente para analisar o livro de Ewerton, com a participação do escritor, que é natural de Natal (RN), mas mora em Campo Grande há três anos. 

Capa do livro / foto por Cleber Gellio

A obra de Ewerton flerta com a origem eslava da lenda vampírica, além de influências de lendas pagãs, do Hindu, da China e das Américas, mas cria para si um enredo completamente novo. "A base da mitologia do vampiro é de origem eslava, e se referencia a um ser que vem de fora e volta da morte para sugar a sua vida", afirma. Ewerton também se inspirou no primeiro livro ocidental sobre o assunto, "O Vampiro" (originalmente em inglês: The Vampyre), produzido em 1819 por John William Polidori, na mesma noite em que outro monstro sagrado foi criado, o Frankstein, pela obra homônima de Mary Shelley. Daí em diante, Ewerton explica que os vampiros foram romantizados e passaram a fazer parte de uma "estirpe elevada". Tudo isso inspirou seu livro, que está a venda nas principais livrarias da Capital. 

Grupo de leitura

Para um dos organizadores do Vórtice Fantástico, Daniel Rockenbach, a presença de um escritor de ficção fantástica em um encontro do grupo dá a oportunidade de uma ampla discussão sobre uma obra acessível. "O mais interessante é poder entender os bastidores da escrita através desse contato", explica ele. Daniel ainda conta que o que chamou a atenção do grupo na obra de Ewerton foi a ampla pesquisa realizada para composição do livro. "Muitas pessoas não tinham ideia da questão da sutileza da escrita e é legal essa troca de experiência com os autores", enfatiza. 

O grupo se reúne mensalmente para discutir diversas obras em Campo Grande, e possui cerca de 25 membros atuantes. A próxima reunião será no dia 19 de março, na Livraria Le Parole, sempre a partir das 14h. Acontece sempre aos sábados, e os membros combinam entre si qual será o título lido um mês antes. O próximo é "Laranja Mecânica", de Anthony Burgess, um clássico também muito lembrado na versão cinematográfica de Stanley Kubrick. O projeto Vórtice Fantástico é aberto ao público e as inscrições podem ser feitas através do e-mail do organizador: [email protected]

Ewerton e Daniel, do Vórtice Fantástico / Foto: Cleber Gellio

Jornal Midiamax