MidiaMAIS

Motociclistas de Campo Grande saem em comboio para encontro na Argentina

Todos os motociclistas tiveram de trocar pneus

Midiamax Publicado em 14/04/2015, às 09h50

None
_mg_1444.jpg

Todos os motociclistas tiveram de trocar pneus

A aventura sobre duas rodas faz parte do ‘pacote completo’ de quem assume ser motociclista. Um grupo com cerca de 15 amantes do estilo que preocupa mães, mas que também dá liberdade, saiu de Campo Grande em direção à Argentina. O motivo é o de praxe, prestigiarem algum evento do ramo. Este, é para participar de um evento de Moto GP.

O grupo saiu na madrugada desta terça-feira (14) rumo à Ponta Porã. Lá encontrarão outro grupo com 35 motociclistas e na Capital do Paraguai, Assunção, se juntarão com mais 15.

Um dos motociclistas com destino a Ponta Porã, Dany Ellisson Zoin, de 36 anos, afirma que da Capital a fronteira do País o grupo vai de carros e caminhonetes e as motos ‘encarretadas’, como dizem. “Vamos nos reunir lá com mais grupos, são 1,5 mil quilômetros até a Argentina”.

De acordo com Zoin, a maioria dos modelos é de motos esportivas e eles devem chegar à Argentina em dois dias e serão rodados mil quilômetros no primeiro dia de viagem e mais 500 quilômetros no segundo dia. “Desde novembro estamos organizando tudo com ingressos para o Moto GP, reserva de hotel e demais despesas em relação a documentação e alimentação”.

Outros motociclistas que vão participar da viagem é o Cláudio Olegário Marques e o Fernando Torres, ambos de 33 anos. Eles afirmam que essa é a primeira viagem internacional do grupo, mas que já realizaram várias viagens longas dentro do Brasil. “Já fomos para o Sul, já viajamos mais de 1,2 mil quilômetros”, afirmou Marques.

O grupo da Capital vai se reunir com grupos de Três Lagoas, Araçatuba (SP), Ponta Porã e Assunção (PY). “Um contou para o outro e eles procuraram a gente para irmos juntos”. De acordo com Torres o principal para uma viagem como esta é o condutor dormir bem e se hidratar bastante.

“A moto é mais cansativa, tem uma desidratação muito grande, o macacão é muito quente e precisamos cuidar disso”.

O piloto Sandro Campos, de 38 anos, já participou de duas competições no Brasil e está indo como telespectador. “Nós vamos porque somos apaixonados pelo esporte e queremos mais visibilidade em Campo Grande. Tem aqueles que correm no autódromo de fim de semana e vamos fomentar a disputa na cidade. Queremos que os pilotos tenham segurança e aparo”, destaca.

Para participar da viagem todos os motociclistas tiveram de trocar os pneus das motos, fazer revisão e regularizar com os documentos necessários para circular nos três países: Brasil, Paraguai e Argentina. Fora a documentação os motociclistas fizeram uma rota para abastecer as motos, alimentação e hotel.

“Cada moto só abastece 17 litros de combustível, conseguimos rodar no máximo 150 quilômetros”, ressaltou Zoin.

Para cada cinco motos haverá um carro de apoio que leva mantimentos e também acessórios necessários para reparos das motos, caso necessário.

Moto GP

A competição será realizada na cidade de Termas de Rio Hondo. O circuito foi construído numa área de 150 hectares e inaugurado oficialmente em 11 de maio de 2008, durante a visita do Campeonato da Argentina de Carros de Turismo. Em 2012 tiveram início as obras de remodelação, aumento e modernização do traçado com o propósito de torná-lo no mais moderno, seguro e emocionante circuito da América Latina.

Jornal Midiamax